Mitológica Trindade da Unicamp

Fui aluno da quarta turma da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desde 1966 até 1971. Convivemos com os três maiores heróis da Unicamp. Hoje, falecidos, estes nossos heróis podem ser considerados verdadeiros mitos. O terceiro maior herói mito da Unicamp foi o professor Zeferino Vaz, o melhor reitor da Universidade, que pegou uma pequena faculdade, agigantou-a, e a transformou na imensa Unicamp de hoje. A Cidade Universitária foi batizada de “Zeferino Vaz”, numa justa homenagem. Seu nome ficou imortalizado, porém, os dois outros lendários heróis estão sendo esquecidos.

O segundo maior herói mito da Unicamp, o professor de histologia Walter August Hadler, foi o primeiro membro (professor contratado) da universidade, em 1963. A FCM era pobre, e ele precisava fabricar estufa de laboratório, com caixotes de sabão. À noite, os professores de histologia roubavam gatos, para fazer lâminas de estudo, para os alunos. Além de grande professor, ele era um pai para os alunos. Ele foi fiador dos contratos de aluguel de todas as repúblicas de estudantes da FCM, desde 1963 até 1968, totalizando uma centena de imóveis. Seria um ato de justiça batizar o Instituto de Biologia de “Walter August Hadler”.

O maior herói mito da Unicamp foi o prof. Antonio Augusto de Almeida. Ele era um antigo e famoso médico oftalmologista de Campinas e foi um dos membros mais atuantes na campanha cívica, organizada na cidade, que conseguiu a fundação da FCM, em 1963. Posteriormente,ele foi nomeado o primeiro diretor da FCM. Muito sincero, ele não era político, como Zeferino. Seu nome acabou sendo ofuscado, e, hoje, há quem diga que o Zeferino foi o fundador da Unicamp. Não foi. O fundador foi o Almeida que saiu de Campinas e viajou até Ribeirão Preto, para buscar o Hadler. E, em 1965, o Almeida e o Hadler viajaram para a cidade de São Paulo, para trazer o Zeferino, para ser o nosso terceiro Reitor. Se não fosse a atuação do Almeida, o Hadler e o Zeferino não teriam vindo para a Unicamp. Por isso, seria um ato de justiça, batizar o Hospital de Clínicas da Unicamp de “Antonio Augusto de Almeida”.

Antonio Jofre de Vasconcelos - IV turma