Qualificações e Defesas - Detalhes

Técnicas multimodais na avaliação da displasia cortical focal: Otimização da análise por métodos de imagem em pacientes com epilepsia fármaco-resistente

Candidato(a): Vanessa Cristina Mendes Coelho
Orientador(a): Fernando Cendes



Apresentação de Defesa
Curso: Doutorado em Fisiopatologia Médica
Local: Anfiteatro CPG
Data: 25/05/2018 - 09:00 hrs
Banca avaliadora
Titulares
Fernando Cendes - Presidente
Edson Amaro Junior - Universidade de São Paulo
André Luis Fernandes Palmini
Ana Carolina Coan
Suplentes
Luiz Eduardo Gomes Garcia Betting - Faculdade de Medicina - UNESP - Campus de Botucatu
Fabio Rogerio
Alfredo Damasceno - Faculdade de Ciências Médicas - Universidade Estadual de Campinas

Resumo


Objetivo: Ratificar a importância da avaliação quantitativa do hipometabolismo cerebral em pacientes com epilepsia fármaco-resistente como método adicional da análise visual, bem como, demonstrar a utilidade do software utilizado durante a rotina clinica de interpretação dos exames de PET-scan destes pacientes.

Métodos: Trinta e nove pacientes com epilepsia resistente ao tratamento clinico e suspeita clinica de DCF (16 pacientes com epilepsia do lobo temporal, ELT, e 23 pacientes com epilepsia do lobo frontal, ELF) foram submetidos a avaliação pré-cirúrgica com análise conjunta de dados clínicos, eletroencefalográficos, vídeo-EEG, MRI e 18F-FDG PET/CT. Foi realizado a quantificação automatizada do PET-CT destes pacientes e comparado com os resultados da análise visual emitidos por médicos nucleares experientes. O índice de concordância Kappa foi aplicado para cada grupo das análises visual e quantitativa, bem como, foram determinados a sensibilidade, especificidade, VPP e VPN.

Resultados: Tanto as análises visual quanto a quantitativa demonstraram valores de alta concordância no grupo ELT, ou seja, os laudos emitidos pela interpretação visual são consistentes e precisos. Já no grupo ELF, a análise visual obteve baixa concordância, com quase metade dos casos definidos como normais. Nestes pacientes, a avaliação quantitativa foi fundamental para definir o local de inicio ictal, demonstrando a importância deste tipo de análise nos casos definidos clinicamente mas com achados sutis nos métodos por imagem. Além disso, demonstramos a utilidade de realizar esta quantificação durante a rotina clinica de avaliação visual nestes casos de crises resistentes ao tratamento clínico e sem achados significativos na ressonância magnética ou no PET-CT.

Significância: Os resultados desse estudo demonstraram que a quantificação é um método adicional fundamental na avaliação de lesões sutis durante a análise visual, principalmente em epilepsia extratemporal. Além disso, demonstramos a possibilidade de aplicar o software utilizado na rotina clinica de avalia