Qualificações e Defesas - Detalhes

Lesões Proliferativas Gástricas induzidas pelo refluxo duodeno-gástrico associado a omeprazol e nitrito: Estudo experimental em ratos.

Candidato(a): Rosângela Lucinda Rocha Monteiro
Orientador(a): Nelson Adami Andreollo



Apresentação de Defesa
Curso: Doutorado em Ciências da Cirurgia
Local: Integralmente à Distância
Data: 22/10/2020 - 14:00 hrs
Banca avaliadora
Titulares
Nelson Adami Andreollo - Presidente
Félix Carlos Ocáriz Bazzano - Universidade do Vale do Sapucaí
Elaine Cristina De Ataide
Valdir Tercioti Junior - Faculdade de Ciências Médicas
Virginio Cândido Tosta de Souza - Universidade do Vale do Sapucaí
Suplentes
Antonio Carlos Aguiar Brandão - Universidade do Vale do Sapucaí
João de Souza Coelho Neto - FCM-UNICAMP
Everton Cazzo

Resumo


Objetivos: Avaliar o papel do omeprazol na ocorrência de tumores na mucosa gástrica de ratos expostos a substâncias sabidamente carcinogênicas após terem sido operados com técnicas cirúrgicas que induzam ao refluxo duodeno gástrico..

Métodos: Foram utilizados 120 ratos WISTAR divididos em três grupos experimentais: o grupo I ( n=40) - controle, submetido a gastrotomia; o grupo II (n=40) - refluxo duodeno-gástrico (RDG) com gastrojejunoanastomose látero-lateral; e o grupo III (n=40) - refluxo duodeno gástrico através do piloro (RDG-P) submetido a gastrojejunoanastomose látero-lateral seguido da secção completa e fechamento proximal e distal do jejuno a 1 cm da gastroenteroanastomose. Os três grupos foram divididos em 4 subgrupos de 10 animais, respectivamente tratados durante 16 semanas com água (grupo controle - C), omeprazol na dose de 1,6 mg/rato/dia (grupo omeprazol - O), nitrito na dose de 600 mg/kg/dia (grupo nitrito - N) e nitrito e omeprazol simultâneamente (grupo nitrito + omeprazol - NO), com as mesmas dosagens.

Resultados: As lesões proliferativas encontradas foram: hiperplasia escamosa – 69,1 , hiperplasia adenomatosa na anastomose – 29,1 , hiperplasia adenomatosa pré-pilórica – 42,5 e adenocarcinoma – 5,8 . Foram encontrados adenocarcinomas, respectivamente, nos animais que ingeriram água (0.83 - grupo III), nitrito (0.83 - grupo III), omeprazol (1.66 - grupo II e III) e nitrito associado a omeprazol (2.48 - grupo I, II e III)

Conclusão: O omeprazol isoladamente e omeprazol associado ao nitrito causam alterações proliferativas significativas, na presença de refluxo duodenogástrico. Portanto, a associação do omeprazol não ofereceu nenhum efeito protetor à mucosa gástrica dos animais para ocorrência de câncer.

Palavras chave: Lesões proliferativas gástricas; refluxo duodeno gástrico; carcinogênese gástrica; nitrito e omeprazol.