Qualificações e Defesas - Detalhes

PADRÕES DO SONO E SUA CORRELAÇÃO COM A QUALIDADE DE VIDA NA POPULAÇÃO DO PANTANAL

Candidato(a): Carlos Eduardo Vilela Gaudioso
Orientador(a): Luis Alberto Magna



Apresentação de Defesa
Curso: Doutorado em Ciências Médicas
Local: Sala Verde da Pós-Graduação/FCM
Data: 27/01/2020 - 13:30 hrs
Banca avaliadora
Titulares
Luis Alberto Magna - Presidente
Magnun Nueldo Nunes Dos Santos
José Carlos Rosa Pires de Souza - Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul
Tarsis Antonio Paiva Vieira
Marcelo Rocha Barros Gonçalves
Suplentes
Marco Túlio de Mello - Universidade Federal de Minas Gerais
Antonia Paula Marques De Faria
Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho

Resumo


Este estudo avaliou os padrões do sono, seus distúrbios e fatores relacionados com a qualidade de vida geral da população pantaneira. A amostra foi composta por 789 participantes, estratificados por sexo e faixa etária. Foram utilizados um questionário sociodemográfico, o Pittsburgh Sleep Quality Index, o Questionário de Berlim e o World Health Organization Quality of Life versão breve (WHOQOL-breve) para avaliação da qualidade de vida, considerando margem de erro máxima para as variáveis dependentes de 5% para mais ou para menos. As variáveis dependentes são aquelas identificadas pela aplicação do Pittsburgh Sleep Quality Index e Questionário de Berlim, ambos instrumentos fornecedores de resultados com distribuição binomial. As variáveis independentes incluem as socioeconômicas e qualidade de vida, avaliada pelo instrumento WHOQOL-breve. Foram utilizados métodos de estatística descritiva, com estimativa de proporções (variáveis de atributos e categóricas) e correspondente erro-padrão da média, bem como média e erro-padrão da média das variáveis quantitativas. Nesse sentido, a análise univariada foi feita pela comparação de proporções pelo teste Qui-quadrado e comparação de médias. O ajuste à distribuição normal foi aferido pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. As variáveis independentes que na análise univariada mostraram associação significativa com as variáveis dependentes foram incluídas em modelo de análise de regressão linear múltipla escalonada com cada uma delas. Em todos os casos foi adotado o nível de 5% para a declaração de existência de significância no teste aplicado. Os resultados apontaram que as distribuições de idade entre os que têm sono com qualidade boa ou ruim são semelhantes, conforme o teste de Mann-Whitney (p=0,244), com médias de 33,1 anos para qualidade boa e 32,1 anos para qualidade ruim, corroborando o resultado mostrado para a mesma abordagem com base nas faixas etárias. O índice dos domínios do WHOQOL, comparado pelo teste t de Student para variâncias heterogêneas (teste de Levene, p=0,003), mostrou índice WHOQOL com média significativamente maior entre os que têm boa qualidade de sono (72,3%) do que entre aqueles que têm qualidade de sono ruim (65,3%). Por conseguinte, pode-se observar, um aumento significativo da proporção de alteração do sono com o aumento da faixa etária, o que é também corroborado pela comparação das distribuições da idade segundo Questionário de Berlim pelo teste não paramétrico de Mann-Whitney, com a média de idade no grupo sem alteração ficando em 30,1 anos e em 36,7 anos no grupo com alteração. Dá-se o contrário quanto ao efeito do nível de escolaridade, isto é, diminui a proporção de alteração do sono com o aumento do nível de escolaridade. Em relação ao gênero, as alterações do sono ocorrem em maior proporção entre as mulheres, bem como entre aquelas que têm escolaridade até o ensino médio, ao passo que os demais grupos mostram proporção semelhante (p=0,541) nessa variável. Isso mostra que no sexo feminino a diminuição do nível de escolaridade, o aumento da idade, e outros fatores como o aumento da proporção de filhos alteram o sono e a qualidade de vida. Também pode-se concluir que, dentro do grupo pesquisado, alguns aspectos como o estado civil, a inatividade (aposentado) e uso de álcool não atingiram um nível de significância para alterações no do sono.