Qualificações e Defesas - Detalhes

Pterodon pubescens Benth: Avaliação do efeito sinérgico dos vouacapanos e geranilgeraniol sobre atividade anti-inflamatória, antinociceptiva e antiulcerogênica in vivo

Candidato(a): Rogério Grando
Orientador(a): Mary Ann Foglio



Apresentação de Defesa
Curso: Doutorado em Ciências Médicas
Local: Sala de Aula Azul - Prédio da Pós graduação FCM
Data: 18/12/2017 - 09:00 hrs
Banca avaliadora
Titulares
Mary Ann Foglio - Presidente
Marco Vinícius Chaud
Karina Cogo Muller
Isis Martins Figueiredo
Jorg Kobarg
Suplentes
Dulce Helena Siqueira Silva
Gislaine Ricci Leonardi
Luiz Alberto Beraldo de Moraes

Resumo


Extratos vegetais são constituídos compostos que podem interagir, simultaneamente, em múltiplos alvos promovendo uma resposta biológica benéfica ou nociva. Sendo assim, tornam-se indispensáveis estudos que visam identificar os efeitos decorrentes destas possíveis interações e os compostos responsáveis pela atividade farmacológica. A espécie Pterodon pubescens Benth. (Sucupira) é amplamente utilizada na medicina popular para o tratamento de doenças inflamatórias. O efeito anti-inflamatório e antinociceptivo dessa espécie já foram evidenciados em diversos estudos in vivo e sua atividade foi atribuída à presença dos diterpenos furânicos e geranilgeraniol que aparentam atuar sinergicamente promovendo uma melhor atividade. O presente trabalho teve como objetivo determinar quais são os compostos envolvidos direta ou indiretamente com a atividade antinociceptiva além de avaliar sua ação perante a mucosa gástrica . Os estudos de interações entre os compostos foram iniciados a partir do fracionamento do extrato bruto diclorometano dos frutos de P. pubescens Benth. e caracterização química de suas frações (CG-DIC e CLAE-UV vis), as interações foram avaliadas no modelo de contorção abdominal induzido por ácido acético em camundongos swiss seguidas das análises pelo método do isobolograma e índice de correlação (IC). A atividade antiulcerogênica do extrato diclorometano do frutos de P. pubescens, das frações obtidas e da mistura dos isômeros 6α-hidroxi-7β-acetoxi-vouacapano-17β-oato de metila e éster 6α-acetoxi-7β-hidroxi-vouacapano-17β-oato de metila (m/z 404) foi avaliada em ratos wistar nos modelos de úlcera gástrica induzido por etanol, atividade antissecretora e indutora de muco. As vias de proteção gástrica compostos sulfidrílicos, óxido nítrico e prostaglandinas também foram avaliadas:. Posteriormente foi avaliado e o efeito antiulcerogênico do extrato nos modelos experimentais de ulcera induzida pelo uso agudo e crônico de anti-inflamatório não esteroidal (AINES). O fracionamento do extrato bruto diclorometano três frações de diferentes polaridades, fração A (Fr A - cerca de 11% de compostos sesquiterpênicos), fração B (Fr B - cerca de 2% do composto geranilgeraniol) e fração C (Fr C - cerca de 25% de diterpenos furânicos). Ao avaliar a atividade antinociceptiva foi possível observar que todas as frações reduziram significativamente via dose dependente as contorções abdominais induzidas por acido acético e foi obtido para as frações A, B e C, respectivamente valores de ED50 de 102, 34; 101,96; e 63,83 mg/kg v.o, (ANOVA p <0,05). A analise isobolográfica permitiu a caracterização da interação farmacológica produzida por uma combinação de proporção fixa de 3: 1, 1: 1 e 1: 3 destas frações. Os valores de ED50 teóricos da mistura das Fr A e Fr C foram 92,71; 83,09 e 73,46 mg/kg, respectivamente. Os valores de ED50 obtidos experimentalmente foram 126,73; 69,96 e 57,91 mg/kg (ANOVA p <0,05), respectivamente. as analises do isobolograma e do índice de correlação indicam que a mistura Fr A+C 3:1 (IC: 1,37) possuem um antagonismo moderado Porem, nas proporções Fr A+C 1:1 (IC 0,84) ou Fr A+C 1:3 (IC 0,70) as interações foram classificadas como sinérgicas fracas. Os valores de ED50 antinociceptivo teórico da mistura Fr B + FrC foram (92,43; 82,90 e 73,36 mg/kg, respectivamente) maiores que os observados experimentalmente (68,53; 41,51 e 37,21 mg/kg (ANOVA p <0,05), respectivamente) que foram classificadas como sinérgicas (IC: 0,74; 0,50 e 0,50 respectivamente). A inibição do extrato diclorometano de mais de 90 % (ANOVA p <0,05) das lesões gástricas induzidas por etanol estimularam os estudos para avaliar quais as possíveis vias de ação dos compostos presentes no extrato. A ação da fração A pode estar relacionada com a diminuição da secreção gástrica. Já a atividade do Pp e frações B e m/z 404 parece estar relacionado com a vias dos compostos sulfidrílicos e síntese de prostaglandinas. E por fim, os compostos sesquiterpênicos, geranilgeraniol e os compostos vouacapânicos devem ser monitorados no extrato bruto diclorometano uma vez que estão diretamente envolvidos na atividade anti-inflamatória, antinociceptiva e antiulcerogênica da espécie.