Qualificações e Defesas - Detalhes

Meta-análise e revisão sistemática do papel dos antibióticos orais e da vitamina K tópica na prevenção do rash acneiforme induzido por terapias direcionadas ao EGFR.

Candidato(a): André Bacellar Costa Lima
Orientador(a): André Deeke Sasse



Apresentação de Defesa
Curso: Mestrado em Clínica Médica
Local: Integralmente à distância
Data: 07/05/2021 - 09:00 hrs
Banca avaliadora
Titulares
André Deeke Sasse - Presidente,
Universidade Estadual de Campinas
Rachel Simões Pimenta Rielchmann
Renata Ferreira Magalhaes
Suplentes
José Augusto Rinck Júnior - Hospital do Cancer - AC Camargo
Carmen Silvia Passos Lima

Resumo


Objetivo

O rash acneiforme (RA) é o evento adverso mais frequente associado aos inibidores do receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR), amplamente utilizados no combate a tumores sólidos. Vários ensaios clínicos estudaram medidas profiláticas para ajudar a prevenir a incidência e a gravidade dessa toxicidade cutânea. O objetivo desta revisão sistemática e meta-análise (MA) foi analisar a eficácia clínica das duas estratégias de prevenção mais estudadas para mitigar a gravidade da erupção cutânea induzida por agentes que atuam no EGFR. Procuramos compreender o papel atual dos antibióticos orais e da vitamina K tópica nesse cenário.

Métodos

Uma ampla pesquisa em bases de dados eletrônicas e resumos de congressos foi realizada. Estudos com grupos de controle relatando o papel preventivo de ambos os antibióticos orais e vitamina K tópica foram selecionados para duas MA separadamente. A incidência geral e a gravidade do RA foram os desfechos dicotômicos analisados.

Resultados

Quatorze estudos (n = 1085) foram incluídos na MA de antibióticos. O uso de antibióticos orais preveniram tanto o RA moderado a grave (OR 0,38; IC 95 0,24-0,60) quanto o RA de todos os graus (OR 0,55; IC 95 0,39-0,78). Quatro estudos (n = 507) foram selecionados para a MA da vitamina K tópica. Nenhum benefício na prevenção do RA com grau ≥ 2 foi observado para este agente tópico (OR 1,21; IC 95 0,79-1,85).

Conclusões

Ainda é necessário buscar formas mais eficazes de controlar as toxicidades cutâneas associadas aos anti-EGFR, uma vez que isso pode prejudicar a qualidade de vida e a adesão ao tratamento do câncer. O uso de antibióticos orais deve ser mais encorajado como medida profilática nas diretrizes atuais.