Qualificações e Defesas - Detalhes

ASSOCIAÇÃO ENTRE DOENÇA HEPÁTICA GORDUROSA NÃO-ALCOÓLICA E ADENOCARCINOMA DUCTAL DE PÂNCREAS: ESTUDO TRANSVERSAL CONTROLADO

Candidato(a): Achiles Queiroz Monteiro de Rezende
Orientador(a): Everton Cazzo


Coorientador(a): Elinton Adami Chaim
Apresentação de Defesa
Curso: Mestrado em Ciências da Cirurgia
Local: Integralmente à Distância
Data: 17/05/2021 - 08:30 hrs
Banca avaliadora
Titulares
Everton Cazzo - Presidente
Wilson Rodrigues de Freitas Júnior - Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
Carlos Augusto Real Martinez
Suplentes
Elias Jirjoss Ilias - Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo
Henrique José Virgili Silveira - Faculdade de Ciências Médicas - Universidade Estadual de Campinas

Resumo


Introdução: O adenocarcinoma ductal pancreático (ACDP), câncer pancreático mais comum, é extremamente letal, sendo a segunda causa de óbito por câncer nos Estados Unidos. A doença hepática gordurosa não-alcoólica (DHGNA) está presente em aproximadamente 30 da população geral, tendo como principal conseqüência óbitos por doenças cardiovasculares, porém há evidências que este é um importante fator de risco para neoplasias. A associação entre DHGNA e ACDP foi sugerida por estudos prévios.

Objetivo: Este estudo tem como objetivo investigar a associação entre a DHGNA e o ACDP e identificar possíveis ligações entre variáveis do espectro histopatológico da DHGNA e o ACDP.

Métodos: Estudo transversal comparativo analítico pareado que analisou indivíduos submetidos à ressecção cirúrgica do ACDP e os comparou com um grupo controle de indivíduos submetidos à colecistectomia em um hospital universitário terciário público, pareados por sexo, idade e índice de massa corporal (IMC). Exames histopatológicos realizados em espécimes obtidos por biópsias em cunha foram comparados entre casos e controles.

Resultados: Foram analisados 56 pacientes, sendo 28 pacientes em cada grupo, pareados por sexo, idade e IMC; 36 eram do sexo masculino (64,3 ) e a idade mediana foi de 61,5 anos (intervalo interquartil: 57,5 – 70). O IMC mediano dos participantes foi de 24,3 kg/m2 (intervalo interquartil: 22,1-26,2). As prevalências de hipertensão, diabetes e dislipidemias não diferiram significativamente entre os grupos. As prevalências de esteatose microvesicular (28,6 vs. 7,1 ; p = 0,04), esteato-hepatite (39,3 vs. 14,3 ; p = 0,03), fibrose (60,8 vs. 14,3 ; p = 0,0003) e balonização hepatocelular (32,1 vs. 7,1 ; p = 0,02) foram significativamente mais altas no grupo de ACDP, assim como a prevalência hepatopatia biliar (71,4 vs. 32,1 ; p = 0,003). A prevalência de esteatose macrovesicular não diferiu entre os grupos (46,4 vs. 35,7 ; p = 0,4).

Conclusão: Associações significativas foram identificadas entre aspectos histopatológicos da DHGNA (esteatose microvesicular, balonização hepatocelular, fibrose e esteato-hepatite) e ocorrência de ACDP.