Recursos Financeiros

a) Gastos Mensais estimados: abaixo um percentual médio

§  Aluguel: 45%

§  Compras de Supermercado: 15%

§  Transporte na Cidade (metrô/bus): 10%

§  Alimentação (refeições/lanches na faculdade): 10%

§  Plano de Celular: 2%

§  Gastos extras: 5%

§  Poupança (para passeios/imprevistos): 13%

É sempre bom estimar as despesas mensais, para ajudar na escolha da moradia (qual o máximo poderei gastar por mês, já que é a conta mais representativa).

Os gastos iniciais previstos com a mudança também são importantes para não resultar em despesas desnecessárias pela empolgação inicial. Lembre-se que no primeiro mês talvez seja necessário pagar:

§  Passagem de ida.

§  Gastos em aeroportos durante conexão.

§  Estadia no Albergue/Hotel.

§  Primeiro mês de aluguel: alguns locais exigem pagamento do “aluguel de entrada e aluguel de saída”.

§  Materiais, que em geral inclui as compras de laptop e celular.

§  Itens para adaptação: roupas de inverno, trocas de fechaduras dos quartos, roupas de cama, etc.

 

b) Troca de Moedas

Então vamos lá. Com o dinheiro na conta, e com o PLANEJAMENTO dos gastos iniciais e despesas mensais, podemos começar as trocas de moedas. Como levar a moeda local?

§  Espécie da moeda do país de destino: Troque no Brasil o suficiente para a primeira semana. Gastos com Albergue/Hotel (aqueles que exigem pagamento no local), gastos em aeroportos e deslocamentos na cidade destino e gastos com alimentação e transporte. Leve no máximo 10% do valor em espécie.

§  VTM (Visa Travel Money) em moeda do país de destino: opção segura, então obtenha um cartão em uma casa de câmbio, e solicite a gravação do seu nome no cartão (cartão nominal).Coloque cerca de 40% do valor disponível no VTM:

§  Conta Corrente do cartão internacional do Brasil: Leve parte dos recursos em um cartão internacional brasileiro, para fazer os saques no exterior quando necessário. Essa opção é interessante em momentos de oscilações das taxas de câmbio. Consulte as taxas e limites para saques com o seu gerente antes da viagem. Aproveite para desbloquear o cartão para uso no exterior. A vantagem é, no momento do saque a DÉBITO, a taxa de câmbio cobrada será muito próxima da cotação da moeda comercial (e não do valor da moeda turismo, que é sempre maior). Lembrando, que a compra da moeda em espécie e VTM no Brasil utiliza a taxa TURISMO, que é relativamente mais cara.  Deixe  50% do valor disponível no cartão do seu banco no Brasil.

Essa divisão (10% espécie, 40%VTM e 50% Cartão da Conta do Banco no Brasil foi feita considerando minimizar os riscos de ir para o país com muito dinheiro no bolso. Segurança sempre!

DICA: Cartão de crédito/débito internacional: Libere para transações internacionais para o período que estará fora. A conta poderá ser usada para depósito de recursos complementares/emergenciais daqui do Brasil pelos seus responsáveis. O cartão poderá ser utilizado também na função crédito (cuidado com o risco de variação cambial, e cobrança do IOF 6,38%), assim como para os saques no exterior quando necessário.