Fique de Olho!

Processo Seletivo — 1° Semestre de 2021

25/08/2020 Edital

16/11/2020 Inscrições homologadas e convocação

01/12/2020 Resultado

Histórico

O Programa de Pós-Graduação em Farmacologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas teve início em 1989, quando ocorreram as primeiras matrículas no curso de mestrado. A defesa da primeira dissertação ocorreu no fim de 1990. O curso de doutorado teve início em 1998 e a primeira defesa de tese ocorreu em novembro de 2001. Até setembro de 2020 já haviam sido realizadas 415 defesas de mestrado e 159 defesas de doutorado, totalizando 574 trabalhos de conclusão.

Atualmente o Programa possui cinco linhas de pesquisa:

  1. Toxinologia e Toxicologia
  2. Farmacologia Clínica e Controle de Qualidade de Medicamentos
  3. Farmacologia Cardiovascular e do Trato Geniturinário
  4. Farmacologia do Processo Inflamatório e Imunotoxicologia
  5. Controle Farmacológico do Metabolismo e do Sistema Endócrino

Toxinologia e Toxicologia

O Departamento de Farmacologia da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp foi fundado em 1964 pelo Prof. Dr. Oswaldo Vital Brazil, de quem herdamos sua principal linha de pesquisa, a Toxinologia, voltada ao estudo farmacológico das toxinas de serpentes e de aracnídeos. Os trabalhos resultantes desta linha de pesquisa, a qual atualmente se vinculam os Profs. Drs. Stephen Hyslop, Maria Alice da Cruz Hofling e José Luiz da Costa, deram grande credibilidade ao Departamento, resultando na criação deste Programa de Pós-Graduação. A integração entre os docents desta linha com os profissionais da Toxinologia e Toxicologia Clínica do Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) do Hospital de Clínicas da Unicamp resulta, há décadas, em publicações de artigos científicos e capítulos de livros em colaboração com os médicos deste centro e em cursos/jornadas de toxicologia.

Farmacologia Clínica e Controle de Qualidade de Medicamentos

Nosso Programa foi pioneiro em reconhecer a Farmacologia Clínica como ferramenta para formação de pós-graduandos em uma área até então desconhecida no Brasil. A realização de estudos de biodisponibilidade e bioequivalência de forma rotineira no Brasil foi iniciativa do Prof. Gilberto De Nucci, que implantou a Unidade Miguel Servet no Departamento de Farmacologia da Unicamp. Este pioneirismo permitiu a formação de mestres e doutores sob sua orientação no tema de bioequivalência, permitindo tanto a aplicação na prática da Lei de Genéricos na metade da década de 1990 quanto a criação de um grande número de patentes. Nesta linha de pesquisa participam também os Profs. Drs. Angélica de Fátima de Assunção Braga, Heitor Moreno Junior, Patricia Moriel, Paulo César Pires Rosa e Rodrigo Gimenez Pissutti Modolo.

A Profa. Angélica Braga tem como principal enfoque avaliar a interação de anestésicos locais com bloqueadores neuromusculares no intra-operatório para permitir o emprego de doses menores desses bloqueadores evitando assim o risco de curarização residual e complicações operatórias. O Prof. Paulo Rosa atua na área de Controle de Qualidade de Medicamentos e a Profa. Patrícia Moriel atua, principalmente, no Uso Racional e Eventos Adversos aos Medicamentos e Farmacogenômica. Esta linha tem resultado publicações e premiações nacionais e internacionais. Estes trabalhos, inclusive, proporcionam ao nosso programa uma inserção social direta, pois a Profª Patricia e seus alunos atuam no Ambulatório de Oncologia do Hospital de Clínicas da Unicamp.

Farmacologia Cardiovascular e do Trato Geniturinário

Esta linha de pesquisa foi consolidada pelos Profs. Edson Antunes, Gilberto De Nucci e Heitor Moreno Junior e, posteriormente, com o credenciamento da Profa. Fabiola Taufic Monica Iglesias em 2013. Nosso Programa foi um dos pioneiros no Brasil a investigar a fisiopatologia da disfunção erétil e contribuiu significativamente para a produção de artigos científicos, aquisição de conhecimentos e formação de alunos de pós-graduação e de pós-doutorado. Na última década adquirimos vasta experiência e competência em doenças do trato urinário inferior. Somos um dos poucos grupos no Brasil, senão o único, que avaliam a reatividade de órgãos do trato urinário inferior em modelos experimentais de obesidade, diabetes, hipertensão e idade avançada, dentre outros modelos. Ainda, esta linha tem uma estreita colaboração com a disciplina de Urologia do Departamento de Cirurgia da Unicamp. Um outro enfoque do grupo de pesquisa da Profa. Fabiola consiste na ideia de recolocação de drogas, ou seja, testar em órgãos do trato urinário inferior medicamentos já aprovados na clínica para um determinado fim terapêutico. O Prof. Gilberto De Nucci também possui projetos nesta linha de pesquisa com o enfoque em avaliar as vias farmacológicas de musculatura lisa vascular e não-vascular (corpo cavernoso) em vertebrados inferiores comparando-as com tecidos de mamíferos. Já os trabalhos do grupo do Prof. Heitor Moreno são pioneiros em abordar o tema da hipertensão arterial resistente. O Dr. Rodrigo Modolo realizou pós-doutorado no Departamento de Cardiologia da Erasmus Universiteit Rotterdam (Países Baixos) sob supervisão do Professor Patrick W. Serruys. Mais recentemente foi credenciado o Dr. Thiago Quinaglia, que tem como projeto principal “Avaliação funcional cardíaca e cerebral em pacientes com estenose mitral moderada e ritmo sinusal”.

Farmacologia do Processo Inflamatório e Imunotoxicologia

Esta linha de pesquisa engloba as atividades dos docentes André Schenka, Sisi Marcondes Paschoal, Edson Antunes e Gabriel Forato Anhê. A Profª Sisi Marcondes desenvolve projetos que avaliam as vias de sinalização em plaquetas de ratos saudáveis e em quadros inflamatórios. Além disso, estuda o papel de espécies reativas de oxigênio e de marcadores inflamatórios na função plaquetária durante a sepse, sendo uma das únicas docentes da Unicamp que trabalha com atividade plaquetária. O Prof. André Schenka tem como linha de pesquisa o estudo de biomarcadores de célula-tronco neoplásicas como alvos-terapêuticos e patologia toxicológica de nanomoléculas substâncias naturais. O docente realizou pós-doutorado realizado em Patologia Toxicológica na companhia de pesquisa por contrato (CRO) CiToxLAB/Charles River, na cidade de Évreux, França. Os Profs. Edson Antunes e Gabriel Anhê também possuem projetos vinculados a esta linha de pesquisa com enfoque em modelos de obesidade e asma.

Controle Farmacológico do Metabolismo e do Sistema Endócrino

O prof. Gabriel Anhê instituiu esta linha de pesquisa, também abordada pela Dra. Joseane Morari e pelas Profas. Silvana Bordin e Alessandra Gambero. Esta linha de pesquisa está servindo de base para a interação do nosso Programa com o Hospital da Mulher da Unicamp (CAISM) e com o CEPID-OCRC-FAPESP (Obesity and Comorbidities Research Center). Nas colaborações com o CAISM, o Prof Gabriel Anhê e a Profa Silvana Bordin coordenam estudos que fomentam o desenvolvimento em conjunto da pesquisa básica com a aplicada e, de maneira translacional, investigam os riscos metabólicos em longo e em curto prazo para mulheres que fizeram uso de corticoterapia antenatal devido ao risco de parto pré-termo. As colaborações com o Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades (CEPID-OCRC), financiado pela FAPESP, têm como foco o estudo do perfil inflamatório de tecido adiposo omental de pacientes com doença de Crohn, com colaboração ativa da jovem pesquisadora Dra. Joseane Morari, credenciada em 2018. A Dra. Morari avalia o papel dos receptores de orexina e grelina na produção de dopamina em linhagem de células neuronais dopaminérgicas. Por fim, o jovem pesquisador e egresso do nosso programa, Prof. Dr. Luiz Osório Leiria foi credenciado como professor permanente em 2019.

 

Teses e dissertações defendidas

Em breve, será publicada pela Secretaria de Pós-Graduação a relação completa de trabalhos defendidos. 

Alguns eventos marcantes para o Programa:

  • 1ª defesa de mestrado: Aurora Santana Asensio, orientada pelo Prof. Dr. Gilberto De Nucci, em 06/12/1990
  • 100ª defesa de mestrado e 100º trabalho defendido: Sonia Regina Riado, orientada pelo Prof. Dr. Edson Antunes, em 29/09/1999
  • 1ª defesa de doutorado: Yoko Oshima Franco, orientada pela Profª Drª Léa Rodrigues Simioni, em 29/11/2001
  • 200º trabalho defendido: defesa de doutorado de Solange Aparecida Malcrida, orientada pela Profª Drª Mary Luci de Souza Queiroz, em 07/08/2003
  • 200ª defesa de mestrado: Adriana Safioti de Toledo Ricardi, orientada pela Profª Drª Gun Birgitta Bergsten Mendes, em 29/08/2003
  • 300º trabalho defendido: defesa de doutorado de Enilton Aparecido de Camargo, orientado pelo Prof. Dr. Edson Antunes, em 13/02/2007
  • 300ª defesa de mestrado: Mario Oshima, orientado pelas Profas. Dras. Léa Rodrigues Simioni e Yoko Oshima Franco, em 30/01/2009
  • 400º trabalho defendido: defesa de mestrado de Lucas Cézar Pinheiro, orientado pelo Prof. Dr. José Eduardo Tanus dos Santos, em 01/08/2011
  • 100ª defesa de doutorado: Aline Mendes Maziero, orientada pelo Prof. Dr. Gilberto De Nucci, em 07/02/2014
  • 500º trabalho defendido: defesa de doutorado de Fabiano Beraldi Calmasini, orientado pelo Prof. Dr. Edson Antunes, em 26/04/2016
  • 400ª defesa de mestrado: Pedro Mello Freire Cartezani, orientado pela Profª Drª Patricia Moriel, em 25/01/2019