Fique de Olho!

PROCESSO SELETIVO – 2º Semestre de 2020

publicado em 31 de março de 2020

Histórico, teses e dissertações

A Farmacologia da Unicamp tem uma história de mais de cinquenta anos.

Em 1966, ano de fundação da Unicamp, o cirurgião-dentista Dr. Antonio Carlos Neder (1933-2019) defendeu a tese Liberação de acetilcolina pela peçonha do escorpião Tityus serrulatus na Faculdade de Farmácia e Odontologia de Piracicaba, sob orientação do Dr. Oswaldo Vital Brazil (1912-2008), antes mesmo da incorporação daquela faculdade à Unicamp, o que só ocorreria no ano seguinte. O professor Neder seguiria carreira acadêmica em Piracicaba.

Em 1969, no Instituto de Biologia, Mauricio Gomes Lomba (1937-1969) defendeu a tese Estudos sobre distribuição e excreção da crotoxina-131 I em cães, sob orientação do Dr. Oswaldo Vital Brazil. Em 1964, Mauricio, recém-formado na Faculdade de Farmácia e Bioquímica da Universidade de São Paulo, acompanhou o professor Vital Brazil, vindo da USP, para auxiliar na instalação do Departamento de Farmacologia da Unicamp, como instrutor. Em outubro de 1966, mês em que de fato a Unicamp seria fundada, participou da fundação da SBFTE - Sociedade Brasileira de Farmacologia e Terapêutica Experimental, representando Vital Brazil.

Em 1971, na revista Universidade Estadual de Campinas, editada pelo Diretório Acadêmico Adolfo Luz, o prof. Vital Brazil assinou um texto em memória do pesquisador precocemente falecido.

As defesas de teses de doutorado orientadas por Vital Brazil se seguiram: em 1970, Estudo sobre convulxina, de Júlia Prado Franceschi (parte do projeto de pesquisa "Separação e estudo farmacológico das toxinas da peçonha da cascavel sul-americana", com financiamento da FAPESP); em 1974, Bloqueio peridural lombar contínuo com bupivacaína na analgesia do parto: repercussão na condição de vitalidade do recém-nato avaliada pela apreciação do seu estado acidobásico, de Álvaro Guilherme de Bezerril Eugênio; em 1976, Contribuição ao estudo da ação da crotamina no músculo esquelético, de Alberto Pellegrini Filho, e Contribuição ao estudo das ações do McN-A-343 na função neuro-muscular, de Lea Rodrigues Simioni.

O curso de mestrado em Farmacologia teve início em 1989  e o curso de doutorado em Farmacologia teve início em 1998.

Teses e dissertações defendidas

Foram defendidas 407 dissertações de mestrado e 150 teses de doutorado no Programa de Pós-Graduação em Farmacologia, totalizando 557 produções. Em breve, será publicada pela Secretaria de Pós-Graduação a relação completa de trabalhos defendidos. 

Alguns eventos marcantes para o Programa:

  • 1ª defesa de mestrado: Aurora Santana Asensio, orientada pelo Prof. Dr. Gilberto De Nucci, em 06/12/1990
  • 100ª defesa de mestrado e 100º trabalho defendido: Sonia Regina Riado, orientada pelo Prof. Dr. Edson Antunes, em 29/09/1999
  • 1ª defesa de doutorado: Yoko Oshima Franco, orientada pela Profª Drª Léa Rodrigues Simioni, em 29/11/2001
  • 200º trabalho defendido: defesa de doutorado de Solange Aparecida Malcrida, orientada pela Profª Drª Mary Luci de Souza Queiroz, em 07/08/2003
  • 200ª defesa de mestrado: Adriana Safioti de Toledo Ricardi, orientada pela Profª Drª Gun Birgitta Bergsten Mendes, em 29/08/2003
  • 300º trabalho defendido: defesa de doutorado de Enilton Aparecido de Camargo, orientado pelo Prof. Dr. Edson Antunes, em 13/02/2007
  • 300ª defesa de mestrado: Mario Oshima, orientado pelas Profas. Dras. Léa Rodrigues Simioni e Yoko Oshima Franco, em 30/01/2009
  • 400º trabalho defendido: defesa de mestrado de Lucas Cézar Pinheiro, orientado pelo Prof. Dr. José Eduardo Tanus dos Santos, em 01/08/2011
  • 100ª defesa de doutorado: Aline Mendes Maziero, orientada pelo Prof. Dr. Gilberto De Nucci, em 07/02/2014
  • 500º trabalho defendido: defesa de doutorado de Fabiano Beraldi Calmasini, orientado pelo Prof. Dr. Edson Antunes, em 26/04/2016
  • 400ª defesa de mestrado: Pedro Mello Freire Cartezani, orientado pela Profª Drª Patricia Moriel, em 25/01/2019