Programa de Atenção aos Transtornos do Espectro do Autismo
Saiba mais

Sobre nós

  • O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)

    é um transtorno do neurodesenvolvimento caracterizado por dificuldades em áreas cruciais da vida como comunicação, interação social, comportamento e sensopercepção, ocorrendo em diferentes patamares de gravidade. Em função disto, pode trazer inúmeras dificuldades às pessoas acometidas, sua família e meio social. Tem prevalência estimada em 1 em cada 100 pessoas não sendo, portanto, considerado raro.

  • Estudos particularmente da última década tem revisto o estabelecimento diagnóstico e apontado a importância das abordagens multiprofissionais e orientação familiar, principalmente as iniciadas o quanto antes (até 2 anos de idade). Para isto, é necessário que haja disseminação de informações que facilitem aos familiares, educadores e profissionais da saúde no auxílio à percepção precoce de sinais do TEA.
    A despeito dos avanços no reconhecimento e nas garantias legais, há grande escassez de recursos de cuidado.

  • Em função disto, idealizamos o Programa de Atenção ao TEA (PRATEA) da FCM/UNICAMP e iniciamos uma série de medidas visando contribuir com a minimização deste cenário.

  • Os objetivos do PRATEA são:

    • Capacitar profissionais das áreas de Educação, Saúde e Assistência Social para detectar acometidos e realizar intervenções terapêuticas;
    • Auxiliar na avaliação, diagnostico e planejamento terapêutico;
    • Realizar pesquisas sobre autismo;
    • Contribuir para o desenvolvimento de políticas públicas destinadas à promoção de saúde física e mental de indivíduos com autismo.

  • Esperamos poder contribuir com medidas que reduzam a ocorrência de:

    • Despreparo para o diagnóstico precoce;
    • Inabilidade na orientação familiar;
    • Obstáculos para inserção em tratamento multiprofissional eficaz, posto que o número de profissionais capacitados a atuar é escasso;
    • Empecilhos para uma adequada permanência em ambiente escolar;

    • Estigma;
    • Desconhecimento e despreparo técnico que associam o diagnóstico precoce à patologização e medicalização, ignorando ou negando, que é exatamente o cuidado precoce – fortemente ancorado nas medidas não farmacológicas – que proporcionará melhor desenvolvimento de potencialidades, que ao cabo levará a um círculo virtuoso de redução do estigma.

  • Foi, portanto, com o olhar dirigido a estas lacunas do cuidado – que podem se transformar em janelas de oportunidade – que elaboramos este site.

Vídeos


Rede de cuidados

A importância da capacitação

Apresentação do PRATEA

Nossa equipe

Profª. Drª. Eloisa Valler Celeri

Prof. Dr. Paulo Dalgalarrondo

Profª. Drª. Renata Cruz Soares de Azevedo


Dr. Antônio Carvalho de Ávila Jacintho

Prof. Dr. Amilton dos Santos Júnior

Psicol. Luiz Fernando Longuim Pegoraro

Dr. Osmar Henrique Della Torre

Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria - FCM/Unicamp

Contato

Dúvidas? Nos envie uma mensagem, assim que possível entraremos em contato.