Estenose da uretra em pacientes do sexo feminino.

Português, Brasil
Disciplina de Urologia, UNICAMP

Uretroplastia com enxerto de mucosa de pequeno lábio vaginal

Paciente do sexo feminino, 54 anos, com queixa de dificuldade para urinar há 10 anos.
Relata diminuição progressiva do jato urinário, há 1 ano realizando dilatação uretral semanal, com melhora parcial dos sintomas.

Comorbidades: Hipertensão arterial sistêmica. Obesidade.

Antecedentes: Pós-operatório tardio de ressecção de carúncula uretral (8 anos).

 

Exame Físico

Introito vaginal sem alterações. Meato uretral tópico, sem lesões periuretrais.

 

Exames

1) Uretrocistografia (Figura 1)

 


Figura 1 - Uretrocistografia miccional. Setas apontando para os seguintes achados:
a.  Incidência oblíqua esquerda: fase miccional, seta mostrando colo vesical aberto.
b. Incidência oblíqua: maior aumento, fase miccional, setas apontando para ponto de parada do contraste em topografia de uretra média.

 

A estenose da uretra em pacientes do sexo feminino é pouco frequente e para afastar componente extrínseco a uretra foi realizado ressonância magnética pélvica que não mostrou alterações.

 

Hipótese diagnóstica

Estenose primária da uretra média.

 

Conduta

Uretroplastia com enxerto de pele do pequeno lábio vaginal (Figuras 2, 3 e 4).

 


Figura 2 – Incisão da uretra às 12 horas até ultrapassar a área de estenose.

 


Figura 3 – Sutura do enxerto na face superior da uretra.

 


Figura 4 – Aspecto final da uretroplastia e da sutura do pequeno lábio.

 

 

Seguimento

Retirada sonda vesical de demora após 2 semanas da cirurgia. Evoluiu com resolução dos sintomas, refere jato urinário forte, sem esforço miccional. Submetida a urofluxometria livre (Figura 5).

 


Figura 5 - Urofluxometria: Fluxo máximo 31 ml/s. Volume urinado 328 ml. Sem resíduo pós-miccional.

 

 

Comentário editorial: 

Estenoses uretrais em pacientes do sexo feminino são incomuns. Na mulher a uretra é muito mais curta que no Homem (4 cm vs. 18 cm),  e raramente afetada por condições patológicas que associam-se com estenose da uretra masculina (falha de correção de hipospádias, trauma, infecção). A etiologia de estenoses uretrais em mulheres relacionam-se principalmente a radioterapia, cirurgia prévia (Correção de divertóculo, excisão de carúncula ou procedimento anti-incontinência) e trabalho de parto complicado. Entretanto, a estenose de uretra em mulheres acarreta prejuízo real a qualidade de vida. A maioria das mulheres acometidas por estenose uretral é conduzida com dilatação uretral periódica. Ginecologistas e urologistas de um modo geral, não sentem-se confortáveis em abordar a estenose cirurgicamente para reconstrução, cientes de que a fisiologia da área esfincteriana feminina não é totalmente compreendida como no Homem, aonde os esfincteres proximal e distal são bem reconhecidos e temem pelo risco de incontinência urinária.

Cirurgia uretral em Mulheres baseia-se no uso de retalho de mucosa vaginal que é facilmente abordado, abundante, fino, macio e resistente a trauma.

Neste artigo, os autores descrevem o uso de enxerto livre de mucosa vaginal de pequenos lábios para reparo de estenose uretral em mulheres secundária a excisão de carúncula vaginal e tratada por longo período com dilatações sequenciais. Os autores descrevem uma abordagem dorsal para abrir a estenose. Esta técnica oferece boa exposição da uretra e suporte vascular e mecânico para o enxerto, muito bem mostradas nas fotografias,reduzindo assim o risco de formação de fístula e divertículo uretral, quando comparada à abordagem ventral.

TA uretroplastia dorsal em Mulheres aqui descrita, no entando, não é uma novidade. Autores italianos descreveram a técninca em 2006 usando a mucosa oral como material substituto (1).

Assim, pode-se concluir que em mulheres com estenose uretral, tratamentos paliativos e ineficazes não se justificam. Cirurgia reconstrutiva uretral pode oferecer uma opção definitiva e satisfatória utilizando-se tão somente de técnica cirúrgica refinada e apropriada.

 

Referências:

1. Migliari R, Leone P, Berdondini E, et al. Dorsal buccal mucosa graft urethroplasty for female urethral strictures. J Urol 2006; 176: 1473-1476.

 

Dr. Guido Barbagli