FCM alerta para a quantidade de papel impresso e faz um chamado: vamos reduzir!

Enviado por Camila Delmondes em ter, 11/06/2019 - 10:27

No meio do caminho tinha uma caixa. Tinha uma caixa no meio do caminho. E que baita caixa! No Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado hoje, 5 de junho, a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp chama à atenção de seus alunos, docentes e funcionários para o gigantesco volume de papel impresso, todos os anos, na universidade. Não é pouco: em 2018, somente a FCM imprimiu cerca de 1 milhão de folhas de papel. “Empilhados, todos os pacotes de papel dariam o tamanho exato desse enorme cubo de madeira de 8m³, que exibimos, hoje, na área externa da faculdade. Isso é preocupante”, alerta o coordenador da Comissão de Gestão Ambiental (CGA) da FCM, Herling Gregório Aguilar Alonzo.

“Vamos reduzir. BASTA de 1.000.000” é o nome da ação permanente lançada pela CGA da FCM, durante essa Semana do Meio Ambiente, visando diminuir o consumo de papel na Unidade. Além de incentivar a redução de 25% do total com a adoção do método de impressão frente e verso por alunos, docentes e funcionários, faculdade também priorizará a utilização de meios eletrônicos para a confecção e trâmite de documentos.

“O uso de pastas compartilhadas, assinaturas eletrônicas e sistemas de Intranet e SIGAD é um facilitador nesse sentido, pois reduzem em muito a necessidade de impressão de documentos. Felizmente, essas já são atividades cotidianas em muitas seções da FCM e que pretendemos fortalecer na instituição”, comenta a diretora administrativa da FCM, Salete Gobi Chiulle.

A impressão de ordens de serviços e de e-mails é uma das rotinas administrativas da FCM com dias contados para desaparecer. A meta é reduzir (ou até mesmo zerar) esse hábito no cotidiano de trabalho. “Trata-se de uma mudança na cultura institucional, visando à sustentabilidade. Precisamos reduzir os custos de papel e tonner. Nesse sentido, valorizaremos, cada vez mais, a informatização dos processos de trabalho e dos procedimentos que envolvem a assinatura de documentos”, afirma Salete.

O grande cubo de madeira disponibilizado na entrada principal da sede administrativa da FCM visa sensibilizar a comunidade interna da faculdade para a responsabilidade de todos na preservação do planeta, mas não se trata, apenas, de uma intervenção artística. Com a realização da oficina “Escritório Vivo”, no final de maio, a faculdade deu início a uma série de capacitações e treinamentos que serão realizados com alunos, docentes e funcionários para que as atividades de gestão administrativa, de ensino e pesquisa, realizadas no âmbito da unidade, causem o mínimo de impacto ao meio ambiente.

“Todos os públicos serão considerados”, comenta Fernanda Longo Pereira, membro da CGA da FCM. “Recentemente, realizamos a capacitação denominada “Boas práticas de manutenção e transporte seguro na área da saúde”, com a equipe de funcionários da Área de Manutenção e Serviços Auxiliares da FCM, que lidam diariamente e mais diretamente com o transporte [de um local a outro] de resíduos sólidos perigosos”.