Estudantes da Unicamp lançam boletim e distribuem quase cinco toneladas de alimentos na Vila Paula

Enviado por Camila Delmondes em sex, 09/04/2021 - 15:02

Estudantes extensionistas de graduação e pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), Faculdade de Enfermagem (FENF), Instituto de Artes (IA) e Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp (IFCH) da Unicamp lançaram o boletim “A Vila Paula”, publicação com periodicidade mensal, destinada aos moradores da comunidade Vila Paula, em Campinas. 

A distribuição da versão impressa do boletim foi realizada no último sábado, 3 de abril, seguindo todos os protocolos de segurança necessários ao enfrentamento da Covid-19. Na ocasião, também foram entregues 380 cestas básicas – quase cinco toneladas de alimentos – adquiridas a partir de vaquinha virtual organizada pelos estudantes, que arrecadou cerca de 22 mil reais em doações.

Decorrente do projeto de extensão universitária coordenado pelo professor do Departamento de Saúde Coletiva da FCM, Rubens Bedrikow, o boletim aborda questões de saúde e de direitos humanos, e traz informações do Centro de Saúde Cássio Raposo. Há, também, uma seção exclusiva para que os moradores compartilhem assuntos pertinentes à comunidade e um espaço com passatempos para crianças e adultos. 

                                

A estudante do 4º ano de Medicina da FCM, Jasmine Cavalcante, explica que o projeto é a oportunidade de aliar teoria à prática, em um cenário que difere do contexto dos hospitais e Unidades Básicas de Saúde. “Temos a oportunidade de conhecer a verdade, o território e as pessoas que vivem ali. Criamos vínculo com os moradores e observamos as coisas mudando, desde o crescimento das crianças até a reconstrução dos barracos”, disse a estudante que em 2020 acompanhou de perto o drama dos moradores diante do incêndio que atingiu diversas famílias da comunidade.

Outro ponto destacado pela quartanista da FCM em relação à extensão realizada na Vila Paula é a possibilidade de aprimorar conhecimentos, enquanto estudante de Medicina. “Somos estimulados a discutir temas de saúde como hipertensão e diabetes e até mesmo a participar de consultas preenchendo fichas de atendimento. Essa experiência é importante no sentido de repensar práticas e crenças relacionadas ao atendimento médico”, comentou.

As atividades de extensão realizadas na Vila Paula incluem brincadeiras com o público infantil, oficinas de desenho, rodas de conversa, grupos de mães, entrevistas com moradores e coordenadores, detecção de problemas e demandas, agendamento de consultas, visitas domiciliares. De acordo com o coordenador da iniciativa, Rubens Bedrikow, além de proporcionar benefícios diretos à comunidade – como o aumento do acesso aos serviços de saúde e desenvolvimento de cidadania – o projeto possibilita a intersecção entre ensino e pesquisa, colocando o aluno em contato com realidades sociais relevantes à formação. Acesse o  site do projeto, aqui.

“Fico encantado com o entusiasmo e competência dos alunos. Precisamos formar agentes de saúde capazes de criar uma nova realidade social no território, em que a saúde possa ser compreendida como um bem humanitário, pluri e transpartidário, democrático, de todos para todos”, disse.

Saiba mais sobre o projeto