FCM e HC da Unicamp têm pesquisas finalistas ao Prêmio Euro de Inovação em Saúde

Enviado por Edimilson Montalti em seg, 16/03/2020 - 10:28

Prêmios serão de € 50 mil e € 500 mil após votação pela comunidade médica

Três pesquisas da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp são finalistas do prêmio Euro Inovação em Saúde: Capacitação da Atenção Primária à Saúde para rastreio e abordagem de jovens em uso de drogas, de Bruna Antunes de Aguiar Ximenes Pereira, do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da FCM da Unicamp; História em Quadrinhos informativa do período pré-operatório - Gol de placa, de Marcio Lopes Miranda, do Departamento de Cirurgia da FCM da Unicamp e Uso de tretinoína em spray nasal para pacientes com rinossinusite crônica com polipose nasal, de Marcelo Augusto Antonio, do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp.

O Prêmio Euro é exclusivamente voltado a médicos, devidamente registrados em seus conselhos regionais de medicina. O objetivo é reconhecer e incentivar a comunidade médica do Brasil na busca por soluções inovadoras em produtos, serviços e ações que resultem em ganhos potenciais e efetivos para a qualidade de vida e bem-estar dos brasileiros.

Os trabalhos finalistas foram selecionados por um jure especializado dentre 1.650 pesquisas inscritas e agora vão a votação pela comunidade médica, juntamente com outros 97 trabalhos de todo o Brasil. A votação pode ser feita até o dia 12 de abril.  Veja aqui como votar. Os vencedores ganharão  prêmios de € 50 mil e o grande vencedor ganhará um prêmio de € 500 mil.

Abaixo, destacamos o código para votação e resumo de cada trabalho da Unicamp que concorre aos prêmios. A divulgação do resultado final e a cerimônia de premiação estão previstas para a segunda quinzena do mês de junho.

Capacitação da Atenção Primária à Saúde para rastreio e abordagem de jovens em uso de drogas

Código EUR025SP
Médico responsável: Bruna Antunes de Aguiar Ximenes Pereira
Instituição: Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da FCM, Unicamp

O uso de Substâncias Psicoativas (SPA) por adolescentes é tema de preocupação global na atualidade, e a Atenção Primária à Saúde (APS) é um ponto central para estratégias de prevenção. Considerando isso, esta iniciativa elaborou e testou um modelo de capacitação de profissionais da APS para identificação e intervenção em adolescentes em uso de SPA lícitas e ilícitas, avaliando conhecimentos, dificuldades e intenções de práticas antes e após o treinamento. Foram incluídos temas recomendados internacionalmente (adolescência, informações sobre SPA, avaliação de gravidade pela escala CRAFFT, fluxograma SBIRT e formas de abordagem). Realizamos encontros presenciais com profissionais da APS utilizando aulas expositivas, apostila com todo o material e disponibilização de referências, seguida de discussão sobre as dúvidas. Foram capacitados 60% dos profissionais da APS que atendem adolescentes em município de médio porte, totalizando 139 pessoas (médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais). Quando comparados pré e pós-testes, houve diferenças estatisticamente significativas na aquisição de conhecimentos sobre rastreamento, avaliação de gravidade, formas de abordagem e encaminhamentos dentro da rede local de assistência.

História em Quadrinhos informativa do período pré-operatório - Gol de placa

Código EUR053SP
Médico responsável: Márcio Lopes Miranda
Instituição: Departamento de Cirurgia da FCM, Unicamp

As crianças e seus familiares que passarão por um procedimento cirúrgico, precisam seguir as orientações e cumprir as etapas para que o procedimento seja o mais seguro e menos traumático possível. A desinformação acarreta insegurança de toda a família que pode ser transmitida para a criança. Com o intuito de tornar esta orientação pré-operatória segura e transmitir todos os passos para a realização de uma cirurgia ambulatorial de forma lúdica, criamos uma história em quadrinhos (HQ) que conta a história de um menino chamado Luke. Este garotinho conversa com sua mãe e ela o leva para uma consulta com o Dr. Mário. Após a consulta e o diagnóstico, o cirurgião propõe a cirurgia, e assim Luke e sua mãe percorrem todos os passos necessários para a realização da mesma. Eles passam pelo laboratório e fazem a visita pré-anestésica com o Dr. Indolor. O Luke é internado, faz o preparo pré-operatório, conhece o misterioso centro cirúrgico, passa pela anestesia e cirurgia. Recebe alta e retorna ao consultório. Ao ler o HQ, as crianças e os adultos participam da história, compreendem a importância das orientações pré-operatórias, desmistificam o ato cirúrgico e anestésico e demonstram mais segurança e menos temor.

Uso de tretinoína em spray nasal para pacientes com rinossinusite crônica com polipose nasal

Código EUR044SP
Médico responsável: Marcelo Augusto Antonio
Instituição: Hospital de Clínicas da Unicamp

Rinossinusite crônica com polipose nasossinusal (RSCcPN) tem seu tratamento fundamentado no uso de corticosteroides intranasais, muitas vezes insatisfatórios. Tretinoína tópica foi criada para uso nasal, para avaliar se a associação com a budesonida poderia melhorar as alterações endoscópicas. Concomitantemente, também foram observados: QoL, olfato, evolução tomográfica e histomorfológica pré e pós-tratamento. Primeiro ensaio clínico 2ª, conduzido em hospital terciário, de julho de 2018 a agosto de 2019. Pacientes com RSCcPN (n = 30) maiores de 18 anos, foram randomizados para uso diário de budesonida nasal (200µg) exclusivamente ou associado a tretinoína tópica (0,4 mg). Desfecho primário foi a melhora das alterações visualizadas pelo LKS e SNOT-22, entre os momentos de avaliação, quando tretinoína foi associada à budesonida. Os desfechos secundários da associação, comparados à monoterapia: segurança da tretinoína frente aos poucos eventos adversos, preservação histológica e melhora do olfato (p = 0,018). Ensaios de fase 3 mostrarão se esta droga, de baixo custo e boa tolerabilidade, melhorará o fardo da RSCcPN, especialmente quanto às exacerbações e cirurgias indicadas para casos recalcitrantes ou com complicações.