II Curso de Verão em Farmacologia reúne alunos do Brasil e do exterior

Enviado por Edimilson Montalti em ter, 15/01/2019 - 10:04

De 14 a 25 de janeiro, acontece na Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, o II Curso de Verão em Farmacologia.  O curso é organizado e promovido pelo programa de pós-graduação em Farmacologia da FCM. Para essa edição, mais de 80 alunos de graduação ou recém-formados dos cursos de Farmácia e Medicina de todo o Brasil e do exterior se inscrevam. Foram selecionados 16 alunos selecionados dos Estados do Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Tocantins, São Paulo, Acre, Sergipe, Amazonas, Pernambuco, Recife e Peru. (Veja programação e detalhes do curso).

“O processo seletivo foi bastante rigoroso. Esse curso é uma oportunidade de dar mais visibilidade às linhas de pesquisa do programa de pós-graduação em Farmacologia da Unicamp e também será ótimo para o currículo dos alunos selecionados”, disse Fabíola Iglesias, coordenadora do curso de pós-graduação em Farmacologia da FCM.

Synara Suellen Lebre Félix, aluna de biomedicina do Centro Universitário UniNorte, no Acre, ambiciona seguir a área de perícia criminal. “Preciso ter análise da farmacodinâmica e da farmacocinética para análise dos casos e o curso fará uma grande diferença na minha formação”, disse. Luis Gustavo Carvalho dos Santos faz medicina no Recife e escolheu fazer o curso porque estuda neurofisiologia e farmacologia aplicada. “Faço iniciação científica e o curso da Unicamp pode contribuir com a minha carreira científica. Quem sabe não faço o mestrado ou doutorado aqui”, revelou.

A arte da anatomia

O médico cirurgião e escritor Gilson Barreto foi o palestrante da abertura do curso. Autor do livro A arte secreta de Michelangelo, Barreto falou sobre anatomia, biologia e arte durante sua palestra. De acordo com Barreto, a anatomia é uma ciência que está em desuso, talvez, segundo o médico formado na Unicamp, por ser estática. Porém, ela é essencial para saber, por exemplo, qual tipo físico terá o melhor desempenho num esporte e para a criação de produtos utilizados pelo homem.

“A anatomia de hoje é a mesma do período renascentista. A anatomia não é importante só na área médica, mas em arquitetura, automobilismo e até para a criação de um teclado para celular. A gente não consegue projetar nada sem o conhecimento anatômico”, disse Barreto, que apresentou trabalhos realizados por Michelangelo na Capela Cístina e descortinou um novo olhar sobre a anatomia.