Patologia Clínica da Unicamp perde o professor Luiz Sebastião Prigenzi

Enviado por Camila Delmondes em sex, 12/01/2018 - 10:40

Faleceu no dia 4 de janeiro, em Sorocaba, interior de São Paulo, o professor Luiz Sebastião Prigenzi, fundador do Departamento de Patologia Clínica (DPC) da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, área reconhecida na atualidade pela geração de conhecimento, serviço assistencial e formação de recursos humanos altamente qualificados.

Marcado pelo seu pensamento questionador e inovador, à frente de seu tempo, Luiz Senastião Prigenzi completaria 89 anos no próximo dia 20.

Ver pedido de contratação

Ver justificativa de renovacão de contrato

Ver carta de recomendação

Natural de São Carlos, Prigenzi graduou-se em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (campus Sorocaba), em 1956, Instituição onde também atuou como assistente do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina (1957-1965), Chefe de Clínica (1962-1963), Assistente da Cadeira de Química Biológica (1959-1964) e Médico-chefe do Laboratório Clínico Central (1957-1970).

Ingressou na Unicamp em 1970, atuando como professor do curso de pós-graduação em Imunologia, do Instituo de Biologia, e professor assistente da disciplina de Imunologia Clínica e Alergia da FCM. Obteve o título de doutor pela Unicamp, em 1976, com a tese “Contribuição ao estudo da agamaglobulinemia primaria adquirida”.

Na FCM Unicamp, Prigenzi foi o principal responsável pela implantação e o primeiro chefe do Departamento de Patologia Clínica, em 1982. Mas, já a partir de 1979, quando foi nomeado chefe do Laboratório Clínico do Hospital de Clínicas (HC), ele consolidou a atividade assistencial, reestruturou o curso de Patologia Clínica oferecido aos alunos do curso de Medicina e do programa de Residência Médica, desenvolveu as primeiras linhas de pesquisa e implantou o programa de pós-graduação. Também pela FCM, Prigenzi ajudou a implantar o Núcleo de Medicina e Cirurgia Experimental.

Prigenzi também foi diretor do Serviço de Microbiologia e Imunologia (1985-1986) e diretor-geral do Instituto Adolfo Lutz (1987), presidente executivo do Centro de Controle de Doenças da Secretaria Estadual de Saúde (1987), membro da Sociedade Brasileira de Imunologia e consultor em assuntos de Imunologia Clínica da União Internacional das Sociedades de Imunologia.

Saiba mais sobre a história do Departamento de Patologia Clínica, no livro:
FCM 50 anos: A realidade ultrapassou o sonho

Pesquisa histórica e levantamento documental: Centro de Memória e Arquivo - FCM Unicamp