Reconhecimento: Christiane Couto e Paulo Velho recebem Prêmios de Incentivo ao Ensino de Graduação

Enviado por Camila Delmondes em seg, 22/04/2019 - 14:32

A fonoaudióloga, Christiane Marques do Couto, e o médico dermatologista, Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho, foram agraciados, respectivamente, com os Prêmios de Incentivo ao Ensino de Graduação “Gabriel de Oliveira da Silva Porto” e “Miguel Ignácio Tobar Acosta” conferidos pelos cursos de graduação em Fonoaudiologia e Medicina da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. A cerimônia de premiação aconteceu no dia 29 de março, durante a 2ª Reunião Ordinária da Congregação da FCM.

Ao abrir a cerimônia de premiação, o diretor da FCM, Luiz Carlos Zeferino, contou que o Prêmio "Miguel Ignácio Tobar Acosta" foi criado, em 2005, em homenagem ao médico fundador do Departamento de Medicina Preventiva e Social da FCM, Miguel Ignácio Tobar Acosta que, já na década de 1970, incentivava os alunos de medicina às atividades “extra-muros”. Já o Prêmio “Prof. Dr. Gabriel Oliveira da Silva Porto”, instituído em 2011, é uma homenagem ao fundador do Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação.

“Inovador, Tobar enxergava os alunos fora da universidade, nas casas dos pacientes. Já o professor Gabriel Porto ajudou na instalação da faculdade, contribuindo na criação, organização da disciplina de Otorrinolaringologia, do Departamento de Oftalmo-Otorrinolaringologia e do Cepre”, disse Zeferino.

Veja a lista de vencedores das edições anteriores do prêmio Gabriel Oliveira da Silva Porto.

Veja a lista de vencedores das edições anteriores do prêmio Miguel Ignácio Tobar Acosta.

Conferido à coordenadora do curso de graduação em Fonoaudiologia, Christiane Couto, o Prêmio “Gabriel de Oliveria da Silva Porto” foi entregue pela docente Rita de Cássia Ietto Montilha, na ocasião, representando a Chefe do Departamento de Desenvolvimento Humano e Reabilitação da FCM Unicamp, Profa. Dra. Maria Francisca Colella dos Santos.

“A trajetória profissional da professora Christiane é muito rica. A sua atuação no ensino de graduação apresenta grande impacto no curso de Fonoaudiologia. Seus conhecimentos, competências e dedicação são exemplares, inspiram os demais docentes de curso e servem de modelo aos alunos em formação. Seu compromisso com o aprimoramento constante do projeto pedagógico do curso tem sido primordial”, destacou Rita.

Ao receber o prêmio, Christiane disse que receber o reconhecimento por si só é motivo de orgulho. “Posso dizer aos senhores que a satisfação de receber um prêmio de mérito na área do ensino é imensa. Que felicidade ter o meu trabalho cotidiano visto de uma forma especial pelos meus alunos, que são meio e fim do ato de ensinar; e pelos meus colegas docentes, membros de um grupo que permitem que o meu dever possa ser cumprido”.

Presente na cerimônia, Armando Porto Pimentel, neto do professor Gabriel de Porto, relembrou, emocionado, a personalidade do avô. “O vovô tinha valores impressionantes de justiça, ética e retidão. Quanto mais eu vivo, mais percebo que mais importante do que as nossas atitudes e ações, são os nossos legados. Vocês são o legado do meu avô, perpetuando o nome e as forma dele pensar”, disse.

O Prêmio "Miguel Ignácio Tobar Acosta", por sua vez, foi entregue ao professor Paulo Eduardo Neves Ferreira Velho, pela coordenadora do Curso de Graduação em Medicina, Joana Fróes Bragança Bastos.

“Toda trajetória do professor Paulo foi no sentido de colaborar para o aprimoramento curricular e de estar atento às inovações, novas disciplinas e formas de abordagem do curso e novas metodologias de ensinar, dando uma dimensão da importância e do merecimento dele em receber esse prêmio”, disse Joana.

Ao receber a honraria, Paulo Velho falou sobre a alegria e senso de responsabilidade de poder ter o seu nome associado à memória de Miguel Tobar Acosta, agradeceu a todas às pessoas que contribuíram para a sua trajetória profissional e fez uma dedicatória especial. “Dedico esse prêmio à minha mãe, minha primeira professora na vida e nos bancos acadêmicos. Foi ela quem me ensinou, através do próprio exemplo, que tudo o que fizermos, incluindo o trabalho, deve sempre ser feito com compromisso e amor”.

Carlos Tobar, filho do professor Miguel Tobar, agradeceu pela homenagem prestada pela FCM, anualmente, à memória de seu pai. “A homenagem foi criada em 2005 e passou a ser outorgada como prêmio de incentivo ao ensino de graduação a partir de 2006. Falecido em 23 de agosto de 2012, meu pai teve a honra de participar da premiação por vários anos. A dinâmica de não haver repetição na outorga do prêmio reforça o objetivo da premiação que é incentivar o fortalecimento do ensino de graduação. Percebo que o professor Paulo é um profissional bastante eclético e ativo, alguém de quem o professor Tobar teria muito orgulho”.