Qualificações e Defesas

COMPARAÇÃO DA PREVALÊNCIA DE SÍNDROME PÓS-TROMBÓTICA E RECORRÊNCIA DE TROMBOSE VENOSA EM PACIENTES TRATADOS COM RIVAROXABANA OU WARFARINA

Candidato(a): Tatiane Ferreira Orientador(a): Joyce Maria Annichino Bizzacchi
Doutorado em Fisiopatologia Médica
Apresentação de Defesa Data: 18/02/2020, 09:00 hrs. Local: Anfiteatro Hemocentro/UNICAMP
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Joyce Maria Annichino Bizzacchi - Presidente
Adilson Ferraz Paschôa
Nelson Wolosker
Fabio Husemann Menezes
Mauricio Wesley Perroud Junior
Suplentes
Sergio San Juan Dertkigil
Daniel Dias Ribeiro - Universidade Federal de Minas Gerais
Erich Vinicius De Paula

Resumo


A síndrome pós-trombótica (SPT) é uma complicação comum e crônica da trombose venosa profunda (TVP) de membros inferiores, presente em cerca de 20% a 50% dos pacientes. A SPT está associada a um risco aumentado de recorrência da TVP, baixa qualidade de vida e custo significativo para a Saúde Pública. Estudos recentes sugerem que a hipercoagulabilidade, a inflamação e a presença de trombo venoso residual (TVR) possam estar associados ao desenvolvimento da SPT e recorrência da TVP. Nos últimos 50 anos a anticoagulação convencional da TVP foi baseada no uso da heparina de baixo peso molecular (inibidor indireto do fator Xa e trombina) e warfarina. O tempo para a estabilização com a warfarina pode impactar no desenvolvimento da SPT. Recentemente, os anticoagulantes orais diretos (DOACs) demostraram que são tão eficazes quanto e mais seguros em relação a sangramentos graves, quando comparados ao tratamento convencional. Poucos estudos avaliaram se o tratamento com os DOACs tem influência sobre o desenvolvimento da SPT ou recorrência da trombose. Não há conhecimento se o tempo entre o início dos sintomas e do tratamento anticoagulante possa ter um impacto sobre essas complicações. O objetivo principal deste projeto foi analisar a prevalência de SPT e as diferentes classes de gravidade avaliada pela escala de Villalta em pacientes com antecedente de TVP proximal de membros inferiores tratados com o DOAC rivaroxabana, comparado ao tratamento convencional. A presença de TVR e sua análise pelo cálculo GSM (grayscale median) foi investigada, assim como sua correlação com a SPT e recorrência. Além disso, foram mensurados os níveis dos marcadores inflamatórios sistêmicos [interleucina (IL)‑6, IL-8 e fator de necrose tumoral‑α (TNF‑α)], e de hipercoagulabilidade (Dímero‑D). Durante o período de Janeiro de 2013 a Outubro de 2018 foram incluídos 129 pacientes com antecedente de TVP proximal de membros inferiores, 71 tratados com rivaroxabana e 58 com o tratamento convencional. Os pacientes foram selecionados do Ambulatório de Hemostasia do Hemocentro de Campinas (UNICAMP), e de 2 clínicas particulares das cidades de Campinas e Sorocaba/São Paulo. O período de tratamento foi de no mínimo de 3 a 6 meses com rivaroxabana ou enoxaparina/warfarina. A escala de Villalta foi realizada de 10 a 86 meses após o diagnóstico da TVP. A duração média dos sintomas da TVP antes da anticoagulação foi de 7 dias para ambos os grupos. A prevalência da SPT no tratamento convencional foi significativamente aumentada (P = 0,018) em relação a rivaroxabana (69% vs. 50,7%). Uma análise em 3 modelos diferentes mostrou que o risco relativo de SPT diminuiu 76% com o uso de rivaroxabana comparado ao tratamento com enoxaparina/warfarina. Além disso, 93 pacientes foram avaliados quanto a presença de TVR’; 42 apresentaram TVR, sendo 11 (24,4%) no grupo rivaroxabana e 31 (64,6%) no grupo enoxaparina/warfarina (P < 0,0001). A presença de TVR não foi considerada um mediador da associação entre o tipo de tratamento e a SPT [odds ratio (OR) = 0,14; intervalo de confiança (IC) de 95% (IC): 0,1-1,0; P = 0,051]. Nossos resultados indicam que o tratamento com a rivaroxabana está associado a menor prevalência de SPT e de TVR quando comparado ao tratamento convencional, no entanto, sugerimos que a presença de TVR não representa um mediador da associação entre a SPT e o tipo de tratamento.

Desenvolvimento e análise de método para codificação e indexação de imagens e vídeos para exames médicos com aplicações em telemedicina

Candidato(a): Weber Shoity Resende Takaki Orientador(a): Wu Feng Chung
Doutorado em Ciências da Cirurgia Coorientador(a): Huei Diana Lee
Apresentação de Defesa Data: 18/02/2020, 09:00 hrs. Local: Anfiteatro da pós-graduação
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Wu Feng Chung - Presidente
Universidade Estadual do Oeste do Paraná- Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Adriano Fregonesi- Faculdade de Ciências Médicas / UNICAMP
Orlando Petrucci Junior
Jéfferson Tales Oliva- Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Oscar Kenji Nihei- Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Suplentes
Carlos Augusto Real Martinez
Everton Cazzo
Ana Isabel Gonçalves Mendes - Escola superior de Educação do Instituto Politécnico de Leiria

Resumo


O surgimento da videoendoscopia digestiva alta e baixa e da telemedicina constituem importantes avanços tecnológicos para o diagnóstico e o treinamento em procedimentos de exames do trato gastrointestinal por métodos ópticos. Nesse cenário, a transmissão e o armazenamento de imagens e vídeos digitais demandam técnicas de compressão adequadas às características da aplicação. Além disso, com a formação de grandes bases de dados, a recuperação por conteúdo das imagens de modo efetivo é também necessária. Assim sendo, este trabalho propõe um método original de codificação, indexação e recuperação de imagens e vídeos. O método usa a decomposição em valores singulares como técnica algébrica de fatoração que permite a ordenação dos fatores constituintes por nível de importância na constituição da imagem. O método apresenta, também, uma análise estatística prévia de cores obtidas de amostras representativas, formando um mapa de probabilidade baseado na frequência de cores, e que resulta na representação compacta das mesmas. Por meio de experimentos realizados com 2.700 quadros de endoscopia digestiva alta, o método de codificação alcançou taxa de compressão média de 82,07%, com desvio padrão de 6,37%, e qualidade objetiva de 38,85 dB com desvio padrão de 1,06 dB. Em comparação com o padrão de codificação H.263, houve diferença estatisticamente significativa em termos da taxa de compressão e da qualidade objetiva (p ≤ 0,05). Para a recuperação, foram indexados 7.212 quadros e utilizadas 97 imagens de exemplo para a busca. Como resultado, a precisão média alcançada foi de 94,85% na configuração que obteve o melhor desempenho geral, tendo sido igual ou superior a outros métodos reportados na literatura. Por meio dos experimentos realizados conclui-se que o método original proposto foi eficaz em codificar e indexar automaticamente vídeos de exames médicos para aplicações de telemedicina.

Candidato(a): Maria Cristina Pauli da Rocha Orientador(a): Sergio Tadeu Martins Marba
Doutorado em Saúde da Criança e do Adolescente
Apresentação de Qualificação Data: 18/02/2020, 09:00 hrs. Local: FOP- Seminário 01
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Sergio Tadeu Martins Marba - Presidente
Luciane Miranda Guerra
Gláucia Maria Bovi Ambrosano- Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP
Suplentes
Vanessa Gallego Arias Pecorari

AlergiPed: Informação em saúde com a credibilidade da Unicamp

Candidato(a): Marina Mayumi Vendrame Takáo Orientador(a): Marcos Tadeu Nolasco Da Silva
Mestrado Profissional em Ciência Aplicada à Qualificação Médica
Apresentação de Defesa Data: 18/02/2020, 09:00 hrs. Local: Sala 5 do CIPED
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Marcos Tadeu Nolasco Da Silva - Presidente
Gustavo Pereira Fraga
Carolina Sanchez Aranda Lago
Suplentes
Pérsio Roxo Júnior
Jose Dirceu Ribeiro

Resumo


RESUMO

Introdução: A expansão do uso da Internet promove mudanças positivas no cuidado do indivíduo com a saúde. Porém, informações online podem ser prejudiciais se mal interpretadas ou não confiáveis.

Objetivo: Descrever o processo de produção de website de apoio ao cuidado em alergias e imunodeficiências para pacientes e cuidadores, com informações baseadas na literatura científica, a fim de promover educação em saúde e disponibilizar canal para dúvidas sob demanda.

Métodos: Estudo de caso. Inicialmente, aplicou-se questionário a pacientes e cuidadores de um ambulatório de alergia e imunologia para avaliar perfil demográfico e de uso da internet e preferências em relação ao site. Foram entrevistados 93 pacientes maiores de 12 anos ou seus cuidadores. Em seguida foi lançado o protótipo da página. Foram produzidos materiais (textos, vídeos) para publicação. Criou-se uma conta em rede social (Instagram®), iniciou-se há um mês a divulgação da página predominantemente via aplicativo WhatsApp®. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa local.

Resultados: Em relação à análise do perfil dos usuários, entre os 93 participantes entrevistados, 77% foram do sexo feminino. Os cuidadores corresponderam a 82% dos entrevistados, e os pacientes, 18%. A mediana de idade foi 33,2 anos, e de renda familiar, R$ 2.100,00. O acesso à Internet se dava por smartphone em 62%, sendo que 76% relataram já ter buscado informações de saúde na Internet. Setenta e dois por cento relataram nem sempre confiar nas informações da Internet, e 96% avaliaram que um site gerenciado pela Unicamp forneceria informações confiáveis. Em relação à página, no período de um ano, foram identificados 323 usuários (114 entraram no dia do início da divulgação, 87 retornaram). Contabilizou-se 2884 visualizações. Dos visitantes, 61% tem entre 18 e 34 anos de idade, pouca diferença em relação ao sexo (45,85% feminino e 54,15%masculino), 96,59% encontravam-se no Brasil, o restante em outros nove países. A maioria dos usuários acessaram o site através de celular (87,31%), o restante em computadores ou tablets, utilizando rede de internet móvel. Excetuando-se a página inicial, as páginas que mais receberam visitas, em ordem decrescente, foram: página com apresentação das alergias, das outras doenças do sistema imunológico e por fim, apresentação da equipe.

Conclusão: A população avaliada (pacientes e cuidadores de um serviço de imunologia pediátrica) considerou oportuna e relevante a disponibilidade de um website com informações confiáveis, com o suporte de uma instituição de ensino e pesquisa. A página vem apresentando retorno em relação aos acessos. Os resultados ainda estão sob avaliação. Esta iniciativa, se bem sucedida, representa importante retorno social da atividade acadêmica.

Contribuições para o processo de cuidado: perfil da clínica de Ortopedia de uma unidade pública hospitalar da região de Sorocaba

Candidato(a): Claudia Natsumi Yoshida Orientador(a): June Barreiros Freire
Mestrado Profissional em Saúde Coletiva: Políticas e Gestão em Saúde
Apresentação de Defesa Data: 18/02/2020, 09:00 hrs. Local: Sala Azul - Pós FCM
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
June Barreiros Freire - Presidente
Gustavo Tenório Cunha- Universidade Estadual de Campinas
Cristiane Marchiori Pereira- USP - Universidade de São Paulo
Suplentes
Daniele Pompei Sacardo
Andre Ricardo Ribas de Freitas - Faculdade São Leopoldo Mandic

Resumo


No decorrer dos anos, o SUS teve estratégias importantes como a criação da Política Nacional de Humanização, para fortalecer o cuidado integral do usuário. Nesta perspectiva, houve poucos avanços da gestão hospitalar em estudo. Pensando em propor melhorias junto a gestão, com base nas diretrizes da Política Nacional e Estadual de Humanização, esta pesquisa mostra algumas características da clínica de ortopedia associadas as queixas dos pacientes internados em traumatologia e Ortopedia do Conjunto Hospitalar de Sorocaba, para contribuir nas principais dificuldades dos processos de cuidado. Os dados coletados foram da planilha de monitoramento e acompanhamento do Centro Integrado de Humanização, e das reclamações notificadas da Pesquisa de satisfação do usuário (PSAT) e da Ouvidoria, no período de abril a outubro de 2018. Os resultados desta pesquisa identificaram que há uma média de permanência, alta, de 13,13 % e consequentemente teve resultados como baixa rotatividade de 2,96%, sobretaxa de 129,66% de ocupação, além de 49,6% de cirurgias canceladas de ortopedia em relação ao total de cancelamento. Dentre as maiores reclamações temos Ortopedia com 14,55%. Das queixas apresentadas na ortopedia, na Pesquisa de Satisfação do usuário (PSAT) temos 50,61% referente a estrutura física, 11,11% conduta de enfermagem, e em relação a Ouvidoria temos 46,77% casos eletivos ambulatoriais que aguardam cirurgia por falta de material, e 17,74% demora para realização de cirurgia dos pacientes internados. Foram coletados outros dados que podem contribuir para uma análise desses processos, como tempo de espera para transferência para um hospital municipal em Sorocaba sem cirurgia, alta sem cirurgia para posterior retorno por falta de material cirúrgico, entre outros. O resultado desta pesquisa demonstra que há necessidade de revisão do modelo de gestão para práticas de um cuidado integral, como estratégias de cogestão, reuniões de equipe, Projeto Terapêutico Singular (PTS), e participação dos usuários para mudanças nos processos de trabalho e de cuidado.