Qualificações e Defesas

Nenhum resultado encontrado

Candidato(a): Maria Eugênia Arantes Gonçalves Orientador(a): Fernando Cendes
Mestrado em Fisiopatologia Médica
Apresentação de Qualificação Data: 17/08/2020, 09:00 hrs. Local: Integralmente à distância
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Clarissa Lin Yasuda - Presidente
Márcio Luiz Figueredo Balthazar- Faculdade de Ciências Médicas - Universidade Estadual de Campinas
Brunno Machado de Campos- Faculdade de Ciências Médicas / UNICAMP
Suplentes
Luciana Ramalho Pimentel da Silva - FCM-UNICAMP

Candidato(a): Danielle Cristina Miyamoto Araújo Orientador(a): Luis Otavio Zanatta Sarian
Mestrado em Tocoginecologia
Apresentação de Qualificação Data: 18/08/2020, 09:00 hrs. Local: videoconferência
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Luis Otavio Zanatta Sarian - Presidente
Julio Cesar Teixeira
Diama Bhadra Andrade Peixoto Do Vale
Suplentes
Joao Renato Bennini Junior

AVALIAÇÃO DO PROTOCOLO DE SINOVECTOMIA RADIOISOTÓPICA EM PACIENTES COM HEMOFILIA

Candidato(a): Marcela dos Santos Martins Orientador(a): Rodrigo Goncalves Pagnano
Mestrado Profissional em Ciência Aplicada à Qualificação Médica
Apresentação de Defesa Data: 18/08/2020, 09:00 hrs. Local: Integralmente a Distância
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Rodrigo Goncalves Pagnano - Presidente
Daniel Augusto Carvalho Maranho- Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP
Mauro Cesar Mattos e Dinato- Faculdade de Ciências Médicas / UNICAMP
Suplentes
Mateus Saito - HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DA USP
Alessandro Rozim Zorzi - Universidade Estadual de Campinas

Resumo


Introdução: A hemofilia é um distúrbio hemorrágico hereditário cuja manifestação musculoesquelética mais comum é a hemorragia intra-articular. Sucessivas hemartroses resultam em sinovite crônica, destruição da superfície articular e artropatia hemofílica crônica. O tratamento conservador não é capaz de interromper a sinovite já instalada. Nestes casos, a remoção da sinóvia é a única maneira capaz de interromper o processo de destruição articular, sendo a sinovectomia radioisotópica (SR) um dos tratamentos de escolha. Objetivo: Avaliar a eficácia da SR na redução da incidência de hemartroses em pacientes hemofílicos. Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo retrospectivo baseado em revisão de prontuário. Foram analisados dados demográficos da amostra. Foi comparado o número de episódios de sangramento um ano antes e um ano após a sinovectomia radioisotópica. Os resultados foram submetidos a análise estatistica e comparados de acordo com o Wilcoxon signed rank test. Resultados: Foram registradas 66 SR entre os anos de 2006 a 2018 no Hemocentro da Unicamp em pacientes que acompanham na instituição e que possuem registros regulares em prontuário. O número de sangramentos registrados considerando apenas as articulações submetidas a intervenção no ano que a antecedeu foi de 384. O número de sangramentos no periodo de um ano que sucedeu o procedimento foi de 227. Conclusão: O protocolo de Sinovectomia Radioisotópica adotado pelo Hemocentro da Unicamp é seguro e eficaz.

Candidato(a): Carlos Hermann Schaal Orientador(a): Wagner Eduardo Matheus
Mestrado em Ciências da Cirurgia
Apresentação de Qualificação Data: 18/08/2020, 10:00 hrs. Local: video conferencia
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Wagner Eduardo Matheus - Presidente
Hospital de Clínicas UNICAMP- Hospital de Clínicas UNICAMP
Ricardo D Saade- Faculdade de Ciências Médicas / UNICAMP
Adriano Fregonesi- Faculdade de Ciências Médicas / UNICAMP
Suplentes
Marcelo Lopes de Lima - Universidade Estadual de Campinas

Capacidade cardiorrespiratória em mulheres com câncer de mama segundo nível de atividade física, composição corporal e qualidade de vida Capacidade cardiorrespiratória em mulheres com câncer de mama segundo nível de atividade física, composição corporal e qualidade de vida

Candidato(a): Henrique Ims Bortolozo Orientador(a): Sophie Francoise Mauricette Derchain
Mestrado em Tocoginecologia
Apresentação de Defesa Data: 19/08/2020, 08:30 hrs. Local: Integralmente à distância por meio do link: (a ser disponibilizado).
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Sophie Francoise Mauricette Derchain - Presidente
Cleiton Augusto Libardi- Universidade Federal de São Carlos - Campus São Carlos
Amanda Veiga Sardeli- Faculdades Metrocamp
Suplentes
Mara Patricia Traina Chacon Mikahil
Carlos Ugrinowitsch - Universidade de São Paulo

Resumo


Dada a alta relação inversa entre capacidade aeróbica e desenvolvimento e progressão do câncer, os principais objetivos deste trabalho são determinar a capacidade aeróbica (VO2max) e sua relação com: o nível de atividade física; a qualidade de vida, o perfil lipídico e a composição corporal de mulheres com câncer de mama, antes do tratamento. Métodos: O estudo foi aprovado pelo comitê de ética institucional local (CAAE 91216918.9.0000.5404). Os participantes foram convidados a visitar o hospital para responder a questionários de atividade física (Questionário Internacional de Atividade Física Global [IPAQ]) e avaliação funcional da qualidade de vida (QV) da terapia do câncer - fadiga (FACT-F) e avaliação funcional da terapia do câncer - mama (FACT-B). Após, na segunda visita, a composição corporal dos participantes foi avaliada, e a terceira visita foi usada para avaliar a capacidade funcional. Dados demográficos, estágio do câncer, subtipos de câncer histológico e perfil lipídico e idade D foram avaliados em prontuários médicos. Resultado: Setenta e oito mulheres com câncer de mama foram incluídas. A capacidade aeróbica não foi significativamente diferente de acordo com idade, raça, ocupação, educação, fumaça, álcool, menopausa, atividade física, hipertensão, diabetes, hipotireoidismo, anemia, problemas renais ou características do tumor. Verificou-se que mulheres com boa / excelente capacidade aeróbica apresentam peso significativamente menor, índice de massa corporal. circunferência abdominal, gordura corporal perceptual e total em comparação com mulheres com capacidade aeróbica regular / fraca / muito fraca. Além disso, verificou-se que o HDL era significativamente maior em mulheres com capacidade aeróbica boa / excelente em comparação com mulheres com capacidade aeróbica regular / fraca / muito fraca. Conclusão: Em resumo, mostramos que mulheres com BC / excelente apresentam baixo peso, gordura corporal, circunferência abdominal e HDL mais alto e melhor desempenho no teste de sentar / sentar. Esses dados sugerem fortemente que mulheres com maior capacidade aeróbica podem diminuir a chance de complicações cirúrgicas ou quimioterápicas, aumentando a sobrevida. Como tal, é importante desenvolver estratégias (por exemplo, exercícios aeróbicos) para aumentar a capacidade aeróbica antes do tratamento.