Qualificações e Defesas

Nenhum resultado encontrado

Candidato(a): Rafael Bessa de Freitas Galvão Orientador(a): Jose Guilherme Cecatti
Mestrado em Tocoginecologia Coorientador(a): Renato Teixeira Souza
Apresentação de Qualificação Data: 18/09/2020, 09:00 hrs. Local: Integralmente por videoconferência
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Jose Guilherme Cecatti - Presidente
Renato Passini Junior
Maria Laura Costa Do Nascimento
Suplentes
Adriana Gomes Luz

SPECT/CT com Sestamibi-99mTc e PET/CT com 18F-FDG na Detecção de Lesões no Mieloma Múltiplo

Candidato(a): Camila Mosci Orientador(a): Celso Dario Ramos
Doutorado em Clínica Médica
Apresentação de Defesa Data: 18/09/2020, 14:30 hrs. Local: meet.google.com/eob-uypb-pbn
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Celso Dario Ramos - Presidente
Kátia Borgia Barbosa Pagnano- Universidade Estadual de Campinas
George Barberio Coura Filho- Instituto do Câncer do Estado de São Paulo - Octávio Frias de Oliveira
Marcelo Tatit Sapienza- Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Sergio San Juan Dertkigil
Suplentes
Claudio Tinoco Mesquita - Universidade Federal Fluminense
Carmen Silvia Passos Lima
Margareth Castro Ozelo

Resumo


Objetivos: O PET/CT com FDG-18F tem sido amplamente utilizado no estadiamento e na avaliação prognóstica do mieloma múltiplo (MM). A cintilografia planar com Sestamibi-99mTc (MIBI) também foi proposta como um método potencial para investigar o MM, entretanto, sua utilzação com a tecnologia de última geração SPECT/CT não foi completamente avaliada. O objetivo deste estudo foi comparar essas duas modalidades de imagem no estadiamento do MM.

Materiais and Métodos: Sessenta e dois pacientes com diagnóstico recente de MM [33 homens, idade média: 66 (39-87) anos] foram submetidos a PET/CT de corpo inteiro com FDG-18F e cintilografia de corpo inteiro com SPECT/CT do tórax e abdome com MIBI-99mTc. SPECT/CT da cabeça e pescoço foi realizado, quando necessário. Dados clínicos e laboratoriais habituais foram coletados e os pacientes foram acompanhados por uma média de 27,8 meses (± 23,4), mas dois deles perderam seguimento. Foram também avaliados o número de lesões focais (LF), o envolvimento de partes moles por continuidade (EPMC), as lesões extra medulares (LEM) e o envolvimento difuso da medula óssea difusa (MO).

Resultados: O PET/CT foi positivo em 59 pacientes (95 ) e o SPECT/CT com MIBI em 58 (93 ) (p=0,69). O MIBI detectou mais envolvimento difuso da MO comparado ao PET/CT (78 vs. 58 dos pacientes, respectivamente), enquanto o PET/CT demonstrou mais LFs que o SPECT/CT com MIBI (81 vs. 54 ) (p=0,002). O PET/CT detectou LEMs em 4 pacientes e o MIBI em 1. EPMC foi observado em 28 (45 ) e 23 (37 ) dos pacientes no PET/CT e MIBI, respectivamente (p=0,36). Três pacientes com lesões líticas sem hipercaptação de FDG foram positivos no MIBI, e 2 pacientes com lesões líticas sem aumento da captação no MIBI eram FDG positivos. A análise multivariada mostrou que no MIBI, tanto a intensidade quanto a extensão da hipercaptação difusa na MO correlacionam-se com a sobrevida média e sobrevida livre de doença.

Conclusão: O SPECT/CT com MIBI e o PET/CT com FDG-18F se assemelham na detecção de doença ativa no estadiamento do MM. O MIBI é melhor que o FDG na detecção de envolvimento difuso da MO. Os dois métodos parecem ser complementares em alguns pacientes, uma vez que um método pode detectar lesões não observadas pelo outro. O MIBI pode ser útil na informação prognóstica.

AVALIAÇÃO DE ADESÃO FARMACOTERAPÊUTICA E A OUTRAS MEDIDAS PARA O TRATAMENTO DE PESSOAS COM DOENÇA FALCIFORME

Candidato(a): Rafael Cândido Alves Aguiar Orientador(a): Fernando Vieira Pericole de Souza
Mestrado Profissional em Hemoterapia
Apresentação de Defesa Data: 23/09/2020, 14:00 hrs. Local: Hemocentro de Campinas (Via google meet)
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Fernando Vieira Pericole de Souza - Presidente
Hemocentro - UNICAMP- Hemocentro - UNICAMP
Leandro de Freitas Teles- Universidade Estadual de Montes Claros
Bruno Deltreggia Benites- Faculdade de Ciências Médicas
Suplentes
Marcelo Addas Carvalho - Universidade Estadual de Campinas
Elaine Veloso Rocha Urias - Universidade Estadual de Montes Claros

Resumo


A doença falciforme é caracterizada pela deformidade do eritrócito, que se assemelha ao formato de foice, em virtude da alteração do gene responsável pela produção da hemoglobina S. Essa alteração provoca redução da flexibilidade do eritrócito comprometendo a circulação sanguínea. O presente estudo objetivou avaliar a adesão ao tratamento de pessoas com Doença Falciforme acompanhadas no Hemocentro Regional de Montes Claros, Minas Gerais, bem como a submissão destes pacientes ao atendimento especializado e a realização de exames, propostos pelo Ministério da Saúde. Em adição, foi objetivo ainda conhecer as dificuldades enfrentadas pelos portadores e por seus responsáveis. Os dados foram obtidos através da análise de prontuários dos pacientes e por meio da aplicação de questionário. A Fundação Hemominas é responsável pelo acompanhamento de portadores de hemoglobinopatias. Para isso, detém o Protocolo de Atendimento Ambulatorial, baseado em diretrizes do Ministério da Saúde, que regulamenta a prestação da atenção integral com rotineiras consultas médicas, testes laboratoriais, exames especiais e ações profiláticas. Foram entrevistadas 70 pessoas com doença falciforme, residentes no norte de Minas Gerais, sendo 64,3 provenientes de área urbana e 35,7 de área rural. Em 25,7 dos casos foi relatada a presença de uma ou mais pessoas com quadro clínico semelhante vivendo no mesmo domicílio do paciente. Aproximadamente 79,0 dos entrevistados relataram que em seus domicílios vivem até quatro moradores e cerca de 3,0 possuíam mais de oito residentes. Para chegarem ao Hemocentro, 74,3 dos entrevistados relataram necessitar de condução da prefeitura. Em relação às demandas assistenciais, os entrevistados citaram terem sido encaminhados para nove diferentes especialidades médicas, com destaque para oftalmologia (48,6 ), cardiologia (44,3 ) e neurologia (21,4 ). Dentre os encaminhamentos para equipe multiprofissional, psicologia e serviço social somaram 22,8 das solicitações. Os exames laboratoriais mais solicitados foram hemograma e contagem de reticulócitos, ambos requeridos para todos os participantes da pesquisa, seguidos pela sorologia (75,7 ) e eletroforese de hemoglobina (62,9 ). A ultrassonografia abdominal e as análises eletrocardiograma e/ou ecocardiograma foram os exames especializados mais requisitados, sendo apontados em 70,0 e 67,1 dos casos, respectivamente. Foi frequente a prescrição de ácido fólico (92,9 ) e algum analgésico (78,6 ) aos pacientes. Além disso, os entrevistados relataram o uso de hidroxiureia (35,7 ) e deferasirox (11,4 ). Dentre os integrantes da pesquisa, 22,9 relataram o uso de penicilinas, incluído nesse percentual todos os participantes com idade até 5 anos. A análise da adesão ao tratamento farmacoterapêutico detectou a ocorrência de escore alto ou médio em 97,1 . Entretanto, 27,1 dos entrevistados revelaram possuir alguma dificuldade com a medicação. Conclui-se que a assistência profissional prestada se apresenta em conformidade com os protocolos de tratamento estabelecidos, e os entrevistados possuem alta taxa de adesão ao tratamento. Contudo, os pacientes ainda enfrentam obstáculos que prejudicam a submissão à terapia, como a distância do hemocentro, dependência de veículo da prefeitura do município de origem, dependência do tempo de marcação de consultas e procedimentos junto ao SUS, falta de medicamentos nas atenções primária e secundária e necessidade de arcarem com despesas médicas de forma particular, mesmo aqueles que apresentam dificuldade financeira.

PERCEPÇÕES DE ADULTOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL DE UM MUNICÍPIO DE GRANDE PORTE DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO SOBRE A PRÓPRIA INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO PERCEPÇÕES DE ADULTOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL DE UM MUNICÍPIO DE GRANDE PORTE DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO SOBRE A PRÓPRIA INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO

Candidato(a): Juliana Medina Butafava Orientador(a): Maria Fernanda Bagarollo
Mestrado em Saúde, Interdisciplinaridade e Reabilitação
Apresentação de Defesa Data: 25/09/2020, 14:00 hrs. Local: Integralmente à distância
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Maria Fernanda Bagarollo - Presidente
Egberto Ribeiro Turato- Faculdade de Ciências Médicas / UNICAMP
Jaima Pinheiro de Oliveira- Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais
Suplentes
Denise Maria Vaz Romano França - Universidade Estadual do Paraná
Adriana Lia Friszman De Laplane

Resumo


Resumo

Introdução: A deficiência intelectual (DI) é uma temática atual e pertinente, visto que a inclusão no trabalho e social dos adultos com deficiência intelectual e o envelhecimento dessa população reverberam tanto na esfera social, quanto nas esferas econômica e cultural. A população com deficiência intelectual, a partir de iniciativas que resultaram no maior grau de inclusão - associadas a outros fatores, como o cuidado com a saúde - teve um aumento significativo da expectativa de vida; conhecer essa população possibilitará a construção de ações e práticas assertivas que a ajude a lidar com questões relacionadas à vida adulta e ao processo de envelhecimento. Objetivo: Analisar as percepções de adultos com deficiência intelectual, moradores de uma cidade de grande porte do interior do estado de São Paulo, sobre suas próprias experiências laborais. Método: A opção foi pelo formato alternativo de Dissertação, previsto em regulamento da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas. Foi realizado um estudo qualitativo sobre as percepções de adultos com deficiência intelectual sobre a inclusão deles no mercado de trabalho; este estudo foi feito a partir de entrevistas semiestruturadas realizadas com adultos com deficiência intelectual, nas quais as experiências laborais foi um dos assuntos abordados. Resultados: O artigo constatou que a inclusão no mercado de trabalho para as pessoas com deficiência intelectual é uma possibilidade que representa muito mais do que a execução de uma tarefa remunerada, pois é neste ambiente que há a oportunidade de convivência com outras pessoas - além do grupo familiar e do ambiente institucional protegido; porém, também é neste ambiente que as pessoas com DI podem se conscientizar do quanto são privadas de oportunidades no dia a dia, já que a comparação com o cotidiano dos colegas de trabalho é inevitável. Conclusão: As pessoas com deficiência intelectual socialmente são infantilizadas e não possuem reconhecimento enquanto adultos na sociedade; a inserção desta população no mercado de trabalho não necessariamente significa inclusão; modificações físicas e principalmente o rompimento de barreiras atitudinais é necessário para que o trabalho seja uma possibilidade favorável à participação social.

APOPLEXIA HIPOFISÁRIA: RESULTADOS DO TRATAMENTO MULTIDISCIPLINAR - A EXPERIÊNCIA EM UM CENTRO DE EXCELÊNCIA EM CIRURGIA HIPOFISÁRIA NOS ÚLTIMOS 10 ANOS E REVISÃO SISTEMÁTICA COM METANÁLISE DA LITERATURA.

Candidato(a): João Paulo Cavalcante de Almeida Orientador(a): Andrei Fernandes Joaquim
Doutorado em Ciências Médicas
Apresentação de Defesa Data: 02/10/2020, 08:00 hrs. Local: INTEGRALMENTE À DISTÂNCIA.
Veja mais / Fechar
Banca avaliadora
Titulares
Andrei Fernandes Joaquim - Presidente
Wellingson Silva Paiva- Universidade de São Paulo
Roberto Sérgio Martins
Enrico Ghizoni
Helder Tedeschi
Suplentes
Wagner Mauad Avelar - Hospital das Clínicas da UNICAMP
Iuri Santana Neville Ribeiro
Eduardo Santamaria Carvalhal Ribas

Resumo


INTRODUÇÃO: A apoplexia hipofisária é uma condição aguda potencialmente fatal, associada à déficit visual, disfunção da movimentação ocular extrínseca e alterações endócrinológicas. As opções de tratamento incluem cirurgia ou manejo clínico. No entanto, o impacto no prognóstico clínico das diferentes modalidades de tratamento não é claro. Nesse contexto, é necessário avaliar os resultados do manejo cirúrgico comparados ao conservador na apoplexia hipofisária.

MÉTODOS: Realizou-se análise retrospectiva dos pacientes com diagnóstico de apoplexia hipofisária tratados no Toronto Western Hospital (Toronto, ON - Canadá) entre janeiro de 2007 e junho de 2017. Os pacientes foram divididos em dois grupos, segundo o tratamento recebido: cirúrgico ou conservador. Realizou-se revisão de características clínicas e epidemiológicas, assim como avalia