Liga de Transplantes da Unicamp lança cartilha sobre doação de órgãos

Enviado por Edimilson Montalti em qua, 09/10/2019 - 11:38

Dia 27 de setembro é o Dia Nacional de Doação de Órgãos. Em comemoração a data, a Liga de Transplantes da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp lançou uma cartilha sobre transplantes. A cartilha traz informações sobre o passo a passo da doação de órgãos, quem pode doar, quais órgãos podem ser doados e como é feita a coleta. Há, ainda, um capítulo sobre mitos dos transplantes de órgãos.  De acordo com a Liga de Transplantes, a cartilha foi criada visando conscientizar a população geral sobre a importância da doação de órgãos e o processo de transplantes. Veja aqui a cartilha.

Pelas estatísticas atuais do Registro Brasileiro de Transplantes, 41% das famílias que são entrevistadas de pacientes elegíveis para transplantes recusam o procedimento e muitos dos motivos envolvem o desconhecimento do processo e a falta de conversa sobre o tema. As justificativas utilizadas para a recusa são muitas: superstições, medo de removerem os órgãos da pessoa ainda viva, medo de que o órgão não vá para quem realmente precisa, entre outros.

“Um único doador pode salvar mais de seis pacientes, pois cada órgão pode ir para mais de uma pessoa diferente. Crendices somadas à falta de informações e oposição da família são os maiores responsáveis pelo insuficiente número de doadores. A proposta da cartilha é, justamente, estimular a conversa e acabar com mitos. Qualquer um pode doar”, diz Thierry Kaue, segundanista do curso de Medicina da FCM e coordenador da Liga de Transplantes da Unicamp.

Ligas Acadêmicas

A Liga de Transplantes é associada ao Diretório Científico Adolfo Lutz, órgão representativo das Ligas Acadêmicas da FCM, compostas por alunos de graduação em Enfermagem e Medicina da Unicamp. Busca promover o estudo e a difusão de conhecimentos sobre temas relacionados a transplantes, melhorar a formação acadêmica de seus sócios e contribuir para a formação de recursos de qualquer natureza que visem melhorar a conscientização a respeito da doação de órgãos e tecidos, bem como do processo de transplante.