Iniciadas as atividades de planejamento estratégico quadrienal do Programa de Pós-graduação em Ciência Aplicada à Qualificação Médica
Publicado por: Camila Delmondes
14 de novembro de 2023

Compartilhar:

Sessão de abertura do planejamento estratégico quadrienal do Programa de Pós-graduação em Ciência Aplicada à Qualificação Médica/Foto: reprodução

Colaboração: Eneida Rached Campos

Ocorreu na última quinta-feira (9), evento on-line que iniciou o planejamento estratégico do Programa de Pós-graduação em Ciência Aplicada à Qualificação Médica (MP-Residência) da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. Na ocasião, participaram da mesa de abertura: a pró-reitora de pós-graduação da Unicamp, Rachel Meneguello; o coordenador da Área de Medicina I da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Paulo Louzada Junior; o diretor da FCM, Cláudio Coy; o coordenador do MP-Residência da FCM, Rodrigo Gonçalves Pagnano; e o professor livre-docente da FCM e ex-coordenador da Área de Medicina I da Capes, José Antonio Rocha Gontijo.

Além da coordenadora da Comissão de Residência Médica da FCM, Marilda Mazzali; também acompanharam a programação de abertura, os coordenadores de outros três programas de pós-graduação da faculdade, também inseridos na Área da Medicina I da Capes: Carmen Silvia Passos Lima (Oncologia); Denise Engelbrecht Zantut Wittmann (Clínica Médica); e Társis Antonio Paiva Vieira (Ciências Médicas).

Após as boas-vindas de Rodrigo Pagnano, anfitrião do evento, o diretor da FCM, Claúdio Coy, destacou a importância dada pela faculdade aos planejamentos estratégicos dos programas de pós-graduação, iniciado pelo Programa de Pós-Graduação em Tocoginecologia, nota máxima da Capes. “Sem dúvida nenhuma, o planejamento estratégico qualifica e fortalece nossos programas de pós-graduação. E a Capes também incentiva este tipo de organização de planejamento”, comentou.

A fala do diretor da FCM foi endossada pela pró-reitora de pós-graduação da Unicamp, Rachel Meneguello, no âmbito da administração central. “Nós temos estimulado nossos programas a terem essa iniciativa. Não apenas porque o conhecimento sobre o programa é algo importante para dar conta das inúmeras atividades e seu próprio desempenho, mas também considerando que toda avaliação dos programas de mestrado e doutorado, acadêmicos e profissionais, tem um impacto muito importante na definição de atividades, no direcionamento dos recursos [...] temos nos mobilizados para disseminar, para todos os programas da universidade, essa prática que a FCM já adota há algum tempo”, disse.

Em sua fala, o coordenador da Área de Medicina I da Capes, Paulo Louzada Junior, abordou o Mestrado Profissional (MP) e suas particularidades. “Há três mestrados profissionais atrelados à Residência Médica no Brasil, que foram iniciados em 2015, na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp), na Unicamp em 2017, e na Universidade de São Paulo (Ribeirão Preto) em 2019. Chamo à atenção para o fato de que os discentes de MP atrelados à Residência Médica subiram de 29, em 2015, para 232, em 2022. Em relação ao MP no Brasil, em 2015, o MP Residência representava 5% do total, e em 2022 passou a representar 22%. Então, o MP-Residência se mostra atrativo para os jovens, tem demanda e vale investir”, destacou.

Ex-coordenador da Área de Medicina I da Capes, o professor livre-docente da FCM, José Antonio Rocha Gontijo, reforçou que o MP-Residência “é um programa científico-acadêmico, que tem como diferencial um produto final aplicado, algo que ficou muito claro durante a pandemia da Covid-19 com a avaliação de drogas, criação e implantação de protocolos, dentre outros”.

A observação do professor Gontijo foi reforçada por Paulo Louzada Junior, que explicou que esse diferencial de geração de produto técnico/tecnológico (PTT) é avaliado pela Capes quanto à aplicabilidade, abrangência, potencialidade, reprodutibilidade, inovação e complexidade. “Um PTT tem valor se ele é qualificado, ou seja, se modificou um processo dentro de um hospital. Um PTT implantado tem que ser valorizado tanto quanto uma publicação científico-acadêmica”, afirmou o representante da Capes.

Na atualidade, numa escala que vai até 5, o MP-Residência da FCM é nota 4 na Capes. Paulo informou que, no Brasil, nenhum programa MP-Residência é nota 5 e sinalizou que falta pouco para o programa da Unicamp alcance a pontuação máxima. “No geral, os programas que queiram atingir a nota 5 têm que avançar um pouco mais em formação e geração de PTT, e isso somente é possível se os docentes permanentes do programa de pós-graduação enviarem as suas produções ou estiverem no Lattes”, afirmou.

Fique por dentro
A programação do Planes do MP-Residência da FCM segue com encontros nos dias 16 e 23 de novembro. Após as reuniões, será elaborado documento que formaliza o planejamento estratégico do programa para o quadriênio 2023-2026. Todas as atividades dos planejamentos estratégicos da FCM são coordenadas pela orientadora metodológica Eneida Rached Campos.

Veja também
Planejamento Estratégico Programa de Pós-Graduação em Tocoginecologia 2023-2026
Palestra inaugura atividades de planejamento estratégico quadrienal de programas de pós em Saúde Coletiva
Apresentado plano de trabalho para o planejamento estratégico da Comissão de Pós-Graduação (2023-2026)



Notícias mais recentes



Laboratório Interfaces conclui o I Treinamento de Suporte de Pares

HC terá sistema para realização de cirurgia robótica

Jornal da Unicamp: Precisamos falar sobre violência sexual, aborto, sofrimento e esperança

Luís Miguel da Silva, do Programa de Pós-graduação em Ciências Médicas da FCM, tem artigo publicado pelo Journal of the American Heart Association

II ESITOX - Escola de Inverno em Toxicologia da Unicamp


Faculdade de Ciências Médicas
Universidade Estadual de Campinas

Correspondência:
Rua Vital Brasil, 80, Cidade Universitária, Campinas-SP, CEP: 13.083-888 – Campinas, SP, Brasil
Acesso:
R. Albert Sabin, s/ nº. Cidade Universitária "Zeferino Vaz" CEP: 13083-894. Campinas, SP, Brasil.
Desenvolvido pela TI / FCM