Histórico

No Teatro Municipal de Campinas lotado, 50 jovens vindos em sua maioria de cidades do interior do Estado de São Paulo, assistem a primeira aula da Faculdade de Medicina de Campinas. A aula magna, proferida pelo reitor da Universidade de São Paulo (USP), Antônio Barros de Ulhôa Cintra, foi o acontecimento na cidade de Campinas no dia 20 de maio de 1963. A Faculdade de Medicina foi a unidade pioneira da Unicamp e antecedeu em três anos a fundação da Universidade.

Em 1965, sob a mão forte de Zeferino Vaz, o esboço da Universidade de Campinas começava a tomar forma. Em 1969, um decreto estadual altera o nome da Faculdade de Medicina de Campinas para Faculdade de Ciências Médicas (FCM). O mesmo valia para a Universidade de Campinas, que passou a ser denominada de Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em 30 de julho do mesmo ano.

No dia 20 de maio de 2013, a FCM fez 50 anos. Seu Jubileu de Ouro foi comemorado com gala e extensa programação cultural, esportiva e científica. O marco foi o lançamento do livro “A realidade ultrapassou” que conta essa história de sucesso construída pelo trabalho de professores, funcionários, médicos-residentes, alunos e cidadãos campineiros.

Por duas vezes, em 2010 e 2012, a faculdade foi convidada a indicar concorrentes ao prêmio Nobel de Medicina. De seus bancos escolares saíram nomes para cargos públicos municipais, estaduais e federais na área da Saúde.